Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Outros Esportes » OLIMPÍADAS

300 dias para Tóquio 2020: faltam 10 meses para o maior evento esportivo do planeta

Confira quais são os brasileiros que já estão garantidos nos Jogos Olímpicos do Japão

Gabriela Santos Publicado em 28/09/2019, às 10h01

Cerimônia de abertura Rio 2016
Cerimônia de abertura Rio 2016 - Getty Images

O evento multiesportivo mais famoso do planeta está a 300 dias de começar. Um pouco mais de 10 meses separam os apaixonados por esportes da Olímpiada de Tóquio 2020, no Japão, e o Brasil já garantiu muitas vagas. 

Naturalmente, para participar dos Jogos Olímpicos, as seleções passam pelas classificatórias continentais. As vagas podem ser alcançadas por meio de Copa do Mundo, campeonatos continentais, Campeonato Mundial, índices olímpicos e até os remanescentes podem disputar o Pré-Olímpico para beliscar uma participação no megaevento esportivo. 

O seleção masculina de basquete, por exemplo, participará do Pré-Olímpico, em junho do ano que vem, para tentar uma das últimas quatro vagas para o torneio. 

A abertura da Olimpíada será no dia 24 de julho e o encerramento, dia 9 de agosto. A grande novidade desta edição é o acréscimo de cinco modalidades na competição: surfe, karatê, skate, escalada e beisebol/softbol. As expectativas para estas modalidades estão altas, especialmente para os brasileiros que alimentam no surfe e skate grandes potenciais. 

Além dessas citadas acima, novas categorias de disputa foram adicionadas ao programa olímpico: Revezamento 4x100m misto na Natação e no Atletismo; Misto no Judô; disputa individual de todas as armas na Esgrima e o Basquete 3x3, conhecido como street basketball. 

Como o Japão é o anfitrião, é a única seleção garantida em todos os esportes, classificada como "convidada" pelo comitê olímpico. 

Rio 2016 (Crédito: Getty Images)


Neste ano, muitos brasileiros já conquistaram o lugar na corrida para o ouro olímpico e a maioria foi alcançada na convincente e histórica campanha dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. Confira: 

Canoagem de Velocidade

Em agosto deste ano, no Mundial de Szeged, na Hungria, o Brasil garantiu dois atletas na categoria C2 1000m, com a dupla revelação do Rio 2016, Erlon e Isaquias, subirem ao pódio na terceira colocação. Os atletas completaram a prova em 3m44s34 e são esperança brasileira nos Jogos Olímpicos.

Canoagem Slalom

A vaga mais recente foi conquistada após a classificação de Ana Sátila, de 23 anos, no Campeonato Mundial na Canoagem Slalom, na última quinta-feira, 26. Na categoria K1 feminino, a atleta é esperança de medalha em Tóquio 2020.

A atleta representante será definida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), mas a tendência é que a própria Ana, vice-campeã da Copa do Mundo e primeira brasileira medalhista na canoagem slalom, esteja no Japão.

Futebol Feminino

A Seleção Brasileira conquistou o seu lugar em Tóquio 2020 com mais de dois anos de antecedência, quando conquistou o título da Copa América, em abril de 2018.

Ao todo, 18 atletas irão participar dos Jogos e a esperança é que o Brasil chegue ao tão sonhado ouro olímpico, contratando a campeã das Olimpíadas de 2008 e 2012 com os Estados Unidos, Pia Sundhage.

Handebol Feminino

Em ascensão, o handebol feminino do Brasil conquistou seu lugar em Tóquio 2020 depois do sexto título consecutivo conquistado no Pan-Americano de Lima, no Peru. A seleção campeã mundial em 2013, que teve a presença das craques Deonise, Mariana, Duda, Elaine, Ana Paula e Bárbara, busca a primeira medalha sob o comando do espanhol Jorge Dueñas.

Hipismo

Nove atletas colocam o Brasil na disputa dos Jogos Olímpicos com vagas alcançadas no Pan-Americano de Lima, no Peru. O Brasil se assegurou nas categorias adestramento, CCE e saltos por equipes.

Natação

Em julho de 2019, 12 nadadores brasileiros conquistaram vaga nos Jogos Olímpicos do ano quevem durante o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coreia do Sul, após ficar entre os 12 primeiros da competição.

São todos na categoria masculina: 4 no revezamento 4x200m livre; 4 no revezamento 4x100m livre; e 4 no revezamento 4x100 medley. O Brasil ainda pode levar até dois atletas reservas para cada prova, mas será a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) levar ou não os reservas.

Os nomes que defenderão o país apenas serão definidos no Troféu Brasil, em abril de 2020.

Natação - Águas abertas

Também no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju, na Coreia do Sul, Ana Marcela Cunha, que disputa a prova dos 10 km, teve vaga conquistada para a corrida do ouro olímpico. A nadadora alcançou a quinta colocação do torneio e carimbou sua participação no Japão.

Pentatlo Moderno

Iêda Guimarães obteve a vaga após a quarta colocação no Pan-Americano de Lima, no Peru, em agosto deste ano. Mesma sem medalha na disputa individual, a brasileira foi a sul-americana mais bem colocada e conquistou a vaga do continente. Na modalidade, o Brasil ficou atrás de México, Estados Unidos e Cuba, respectivamente.

Rúgbi Feminino

As atletas brasileiras garantiram o Brasil na Olimpíada após a vitória em torneio pré-olímpico em Lima, Peru, em junho deste ano. A seleção conquistou o título de forma invicta e assegurou a vaga nos Jogos Olímpicos. A mini competição também valeu como evento-teste para o Pan-Americano de Lima, realizado entre julho e agosto.

Será a segunda participação do time brasileiro em Olimpíada. Em 2016, no Rio, a Seleção Brasileira terminou na nona colocação. 12 atletas buscam a primeira medalha olímpica do esporte para o Brasil.

Tênis

O tênis tem uma novidade. João Menezes, de 22 anos, conquistou o ouro no Pan-Americano de Lima, no Peru, mas estará nos Jogos Olímpicos desde que permaneça entre os 300 primeiros colocados do ranking mundial, mas ao que tudo indica, isso não será um problema, já que o tenista está na 212ª posição.

Neste caso, a vaga é nominal.

Tênis de Mesa

Provavelmente a vaga do Brasil será de Hugo Calderano, após o ouro conquistado nos Jogos Pan-Americanos deste ano. O brasileiro bateu o chinês naturalizado dominicano, em agosto deste ano.

Tiro com Arco

Um atleta defenderá o Brasil em Tóquio 2020 após Marcus Vinícius D’Almeida conquistar a medalha de prata no Pan-Americano. Marcus foi superado por um canadense na final, mas assegurou a vaga na Olimpíada do Japão.

Vela

10 velejadores brasileiros garantiram o país nos Jogos do ano que vem. Em agosto de 2018, a dupla Martine Grael e Kahena Kunze e João Pedro Oliveira, asseguraram a vaga nas classes 49er FX e Laser, respectivamente, durante o Mundial da Dinamarca.

Em maio deste ano, Zarif, atleta da classe Finn, ficou entre os 10 primeiros colocados no Campeonato Europeu, na Grécia, e o Brasil disputa a categoria em Tóquio.

Neste ano também, mais seis atletas fizeram boas campanhas no Pan-Americano de Lima e garantiram país nas seguintes classes: 49er masculino (Marco Grael e Gabriel Borges), RS:X F (Patrícia Freitas), Laser (Bruno Fontes) e Nacra 17 (Gabriela Nicolino e Samuel).

As vagas conquistadas não são nominais, portanto, a garantia nos Jogos é do país e cabe à Confederação Brasileira de Vela (CBVela) divulgar os convocados no início do ano que vem.

Vôlei Feminino

Em julho, a Seleção Brasileira de vôlei feminino garantiu a participação em Tóquio 2020 após vencer o pré-olímpico sobre a República Dominicana, em Uberlândia, diante da torcida mineira, e carimbou o passaporte na busca pelo terceiro ouro olímpico.

Vôlei Masculino

Um mês depois, em agosto, foi a vez do vôlei masculino repetir o feito das mulheres e assegurar a vaga nos Jogos Olímpicos. Em virada histórica, e improvável, sobre a Bulgária o Brasil.
Sempre como a esperança brasileira na Olimpíada, assim como as meninas, 12 atletas do time chegam ao Japão pela corrida da quarta medalha de ouro.

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!