Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Testeira
Futebol » HISTÓRICO!

ESQUENTA PARA TÓQUIO: Relembre o primeiro Ouro Olímpico do Brasil no futebol

Comandada por Neymar, seleção conquista a primeira medalha de ouro nas Olimpíadas Rio 2016

Lucas Cesare Publicado em 29/03/2021, às 17h48 - Atualizado às 21h16

Walace, Gabriel Jesus, Neymar, Gabigol, Rafinha e Luan comemorando a conquista do Ouro Olímpico
Walace, Gabriel Jesus, Neymar, Gabigol, Rafinha e Luan comemorando a conquista do Ouro Olímpico - Getty Images

Mesmo sendo um dos países com mais tradição no esporte, cinco vezes campeão da Copa do Mundo, a seleção brasileira masculina de futebol nunca havia conquistado uma medalha de ouro nos jogos Olímpicos e essa conquista veio justamente em casa, nas Olimpíadas Rio 2016.

Até então, o Brasil havia conquistado três medalhas de prata nos anos de 1984, 1988 e 2012, duas de bronze em 1996 e 2008. Atualmente, o Brasil é o país que mais conquistou medalhas no futebol (seis), seguido por Hungria e as extintas União Soviética e Iugoslávia (todas com cinco).

Os Atletas

Vamos começar relembrando os jogadores presentes nessa conquista histórica. Para quem não sabe, só podem ser convocados para os jogos Olímpicos, atletas sub-23 (até 23 anos de idade), com a permissão de apenas três nomes acima da idade limite. O técnico da seleção brasileira durante a Olimpíada foi Rogério Micale, que assumiu o comando após a demissão de Dunga.

Goleiros: Uilson, do Atlético Mineiro (hoje em dia joga no Coimbra, de Portugal) e Fernando Prass, que naquela época era goleiro do Palmeiras (hoje aposentado). Prass havia sido uma das três escolhas acima da idade limite, porém, o jogador se lesionou antes da disputa do torneio e foi substituído por Weverton, na época goleiro do Athletico Paranaense (hoje no Palmeiras).

Laterais: Os laterais eram William, do Internacional (hoje no Schalke 04, da Alemanha), Douglas Santos, do Atlético Mineiro (hoje no Zenit, da Rússia) e Zeca, na época lateral do Internacional (hoje no Vasco da Gama).

Zagueiros: Rodrigo Caio, zagueiro do São Paulo (atualmente no Flamengo), Luan, do Vasco (hoje no Palmeiras) e Marquinhos, que já atuava pelo Paris Saint-Germain, na época com apenas 22 anos.

Meio-campistas: Thiago Maia, do Santos (hoje no Flamengo), Rodrigo Dourado, do Internacional (permanece no time até hoje), Rafinha Alncântara, do Barcelona (hoje no PSG), Walace, do Grêmio (atualmente na Udinese, da Itália), Felipe Anderson, da Lazio (hoje no Porto) e Renato Augusto, que foi convocado no lugar de Douglas Costa (que também teve que ser cortado por conta de uma lesão), na época o meia tinha 28 anos e já jogava no Beijing Guoan, clube que defende até hoje.

Atacantes: Luan, do Grêmio (hoje no Corinthians), Gabriel Barbosa, do Santos (hoje no Flamengo), Gabriel Jesus, ainda no Palmeiras (hoje no Manchester City) e Neymar, que na época ainda estava no Barcelona (hoje no PSG). Neymar já tinha 24 anos e teve que ser o terceiro nome acima da idade limite. Ele foi o capitão da seleção durante a conquista inédita.

O Caminho ao Ouro

Na fase de grupos o Brasil enfrentou África do Sul, Iraque e Dinamarca, respectivamente e amargou dois embates sem gols nos primeiros dois jogos. Foi para o confronto com a Dinamarca pressionado, com o risco de ser eliminado logo na primeira fase, mas aplicou um belo 4 a 0, com dois gols de Gabigol, um de Gabriel Jesus e um de Luan, garantindo a classificação.

Nas quartas enfrentaram a Colômbia, na Arena Corinthians. Em um jogo truncado, Neymar abriu o placar com uma bela cobrança de falta e Luan fechou o placar com um golaço de cobertura. Em seguida veio Honduras, na semifinal, e a seleção aplicou um belo 6 a 0, com Neymar abrindo o placar logo aos 14 segundos. A excelente atuação deu motivação e forças ao time, que enfrentaria na final a temida Alemanha.

Dois anos depois do inesquecível 7 a 1, aplicado pela Alemanha na seleção brasileira pelas semifinais da Copa do Mundo de 2014, também no Brasil, as equipes se enfrentavam novamente, dessa vez na decisão. O palco foi o Maracanã, onde Neymar abriu o placar com mais um belo gol de falta, o segundo dele na competição. Meyer fez o gol dos alemães, o primeiro e único sofrido pelo Brasil naquela Olimpíada.

O jogo acabou em 1 a 1 no tempo regulamentar e, depois de uma prorrogação pouco movimentada, foi para as penalidades. Renato Augusto, Marquinhos, Rafinha Alcântara e Luan marcaram as quatro primeiras cobranças para o Brasil, enquanto Ginter, Gnabry, Brandt e Sule fizeram para a Alemanha. Quando foi a vez de Petersen cobrar, brilhou a estrela de Weverton, que havia acertado o lado de três das quatro batidas anteriores. A decisão ficou para os pés de Neymar, que com uma bela cobrança, marcou o gol da vitória e saiu comemorando aos prantos. O Brasil vencia a primeira medalha de ouro de sua história.

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!