Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Surfe / VISH!

Italo Ferreira detona WSL e manda recado: "Eu nunca vou..."

Italo Ferreira atravessa uma fase complicada na WSL e foi um dos brasileiros que deixou a etapa de Surf Ranch irritado com a arbitragem

Lucas Miluzzi Publicado em 31/05/2023, às 11h32

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Italo Ferreira rebateu as críticas da WSL e garantiu que não vai mudar o seu estilo de surfar - GettyImages
Italo Ferreira rebateu as críticas da WSL e garantiu que não vai mudar o seu estilo de surfar - GettyImages

A polêmica entre os brasileiros e WSL após o Surf Ranch continua. Italo Ferreira abriu o jogo em relação a série de críticas que a organização sofreu em relação as notas que deu durante a etapa da Califórnia. O surfista concedeu entrevista para o "Globo Esporte" e não escondeu a sua insatisfação com as decisões que a entidade tem tomado em cada circuito do campeonato mundial. 

De acordo com Italo Ferreira, ele não vai ser "conservador" e sempre lutará pela evolução do surfe mundial. O brasileiro deu a sua opinião em relação as notas que lhe renderam o segundo lugar no Surf Ranch. O surfista entendeu que o critério utilizado pela arbitragem não foi dos melhores. Além disso, ele avisou que cada lado está apenas interessado no individual e não no coletivo.

"Eu nunca vou ser um cara conservador. Vou fazer de tudo para que o esporte consiga evoluir. Não dá para voltar para os anos 90. Cada um está olhando para o seu e não para a evolução do esporte, para o que é melhor. E a piscina realmente foi um campeonato que me surpreendeu, pelas notas, pela base que escolheram de critério de julgamento. Se você tem um potencial, um talento, vai executar algo a mais do que aquele cara para ter uma nota maior. E na maioria das vezes você acaba sendo prejudicado porque não seguiu aquela outra linha, mas você performou um pouco acima", afirmou.

Italo Ferreira continuou o desabafo sobre as notas e também deixou claro que ficou satisfeito com o posicionamento dos surfistas brasileiros em relação a WSL!

"Na piscina foi difícil de entender algumas coisas, porque as ondas eram do mesmo jeito, a distância era a mesma, o tubo era o mesmo para todos. E aí dependia de quem ficaria mais tempo no tubo, mais para o fundo. Em alguns momentos trazer manobras inovadoras em algumas partes de onda que eram difíceis. No final de tudo, fiquei um pouco abalado", começou a explicar. Italo Ferreira comemorou que ganhou aliados nesta luta contra a WSL e garantiu que o seu estilo de surfe não mudará. 

"No dia que finalizou a bateria, fiquei feliz pelo que eu apresentei, o que entreguei naquela hora. Para mim foi o suficiente, para outras pessoas, não. E está ok. Daqui a cinco dias vou estar em El Salvador fazendo a mesma coisa, surfando, entregando meu máximo e buscando resultado. Eu acho que esse não é o momento para dar tanta força ou energia para uma coisa. Foi legal que tiveram depoimentos de alguns atletas, tanto do Gabriel quanto do Filipe e do Chumbinho", seguiu antes de completar com um forte recado para a WSL.

"Na maioria das vezes, acabamos sofrendo um pouco, mas acho que o outro lado para mim é que eu recebo isso de uma outra forma, mais motivacional, com um pouco mais de energia, para que eu possa ir à próxima (etapa) quebrar de verdade, mais ainda. Desde quando entrei no Circuito Mundial, em 2015, sempre falei que sempre tive que surfar o dobro para poder conseguir algo. Acho que para todos os outros caras também. A gente sempre tem de entregar um pouco mais", completou.


Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!