Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Futebol / EXCLUSIVA

Walter Casagrande Jr. abre o jogo sobre ataques nas redes sociais

Em entrevista exclusiva ao SportBuzz, Walter Casagrande Jr. comentou sobre os ataques que recebe nas redes sociais: “É o tipo de coisa que não me fere, mas não me agrada”

Redação Publicado em 05/01/2023, às 20h00 - Atualizado às 20h10

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Walter Casagrande Jr. abre o jogo sobre ataques nas redes sociais - Reprodução/ Instagram
Walter Casagrande Jr. abre o jogo sobre ataques nas redes sociais - Reprodução/ Instagram

O comentarista esportivo Walter Casagrande Jr. conversou com exclusividade com o SportBuzz e comentou sobre os ataques que recebe nas redes sociais por suas críticas. Ele tem sido um dos principais nomes da imprensa em polêmicas com os jogadores brasileiros  e tal exposição acaba rendendo mensagens negativas de internautas.

Recentemente, o ex-jogador de futebol criticou a postura de campeões mundiais do Brasil durante a Copa do Mundo 2022, no Catar. A declaração de Casagrande não foi bem aceita pelos ex-atletas brasileiros, como Marcos e Kaká, que rebateram o comentarista. Além disso, o apresentador Tiago Leifert também esteve envolvido nas polêmicas.

Confira a entrevista na íntegra:

Questionado sobre como se sente com os comentários negativos de internautas, Casagrande destacou que o filho cuida de suas contas nas redes sociais. Por isso, fica sabendo da repercussão de seus textos apenas por meio de terceiros.

“Eu não fico vendo [as redes sociais]. As pessoas me falam o que está acontecendo, mas eu não fico vendo. Muita gente me chama de “drogado”, “viciado” e “blá blá blá”. É um tipo de coisa que não me fere, mas não me agrada”, começou Casagrande.

Casagrande falou com exclusividade ao SportBuzz
Casagrande falou com exclusividade ao SportBuzz (Crédito: Reprodução/ Instagram)

“Quando eu falo ou escrevo alguma coisa, é em cima de fatos. Eu não tiro nada da minha cabeça, não invento. Eu interpreto o fato e dou a minha opinião. É minha crítica. Não estou preocupado se as pessoas vão apoiar”, acrescentou antes de completar:

“Me chamavam de “viciado” e “drogado”, mas faz mais de sete anos que batalho para me manter como eu estou. Não fumo, não bebo, cuido do meu emocional, mas só usam isso [para me atacar]. Em uma sessão de terapia, eu falei isso mesmo para a minha psicóloga, que disse: “Parabéns. Se estão falando sobre isso [seu passado], eles não conseguem falar nada sobre o seu presente”.

Eleito o “pior comentarista” pelos jogadores: 

Em dezembro, o site UOL divulgou um resultado de uma pesquisa em que os jogadores brasileiros elegeram Casagrande como o pior comentarista de futebol. Questionado se tal tipo de afirmação o magoa, o ex-Corinthians não titubeou para responder “não”. No entanto, explicou as divergências com os atletas:

“Os jogadores de futebol têm um pacto entre eles, de que ninguém critica ninguém. Tanto que o Robinho é condenado à nove anos de prisão por estupro coletivo de vulnerável na Itália, segue andando pela praia e não tem um jogador que fala nada. Não tem uma pesquisa da imprensa que pergunta aos jogadores o que eles acham Robinho na praia. Não fazem uma matéria, como fizeram sobre quem é o melhor e o pior comentarista, sobre a opinião dos jogadores sobre a liberdade de Robinho”, começou.

Eu não vejo o futebol só dentro do campo. O futebol faz parte de uma sociedade”, disse Casagrande. 

“Eu sei que a eleição vai muito em cima do que eu falo e de como toco na ferida dos caras, como foi o caso dos pentacampeões. Se eu falo alguma coisa que não é verdade, a pessoa não tem como se doer. Se explodiram daquele jeito, é porque sentiram o drama. Jogador de futebol é mimado e gosta de ser paparicado, e prefere o comentarista que passa a mão na cabeça”, conclui o comentarista.


Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!