Sportbuzz
Testeira
Futebol / EITA!

Atlético-MG: Rodrigo Caetano quebra o silêncio sobre polêmica com VAR

Rodrigo Caetano teria chutado a cabine do VAR durante a partida do Atlético-MG contra o Santos

Redação Publicado em 14/10/2021, às 18h11 - Atualizado às 18h23

Rodrigo Caetano comenta sobre polêmica com VAR - Pedro Souza/Atlético Mineiro
Rodrigo Caetano comenta sobre polêmica com VAR - Pedro Souza/Atlético Mineiro

Na última quarta-feira, 13, com muitas emoções, o Atlético-MG conseguiu uma virada importante para cima do Santos e manteve a sua invencibilidade de 18 jogos na competição. No entanto, a partida teve alguns lances polêmicos e que envolveram o VAR. Após o jogo, na súmula, ficou registrado que Rodrigo Caetano teria chutado a cabine e xingado os árbitros de vídeo. 

Depois de uma grande repercussão sobre o caso, o dirigente do Galo convocou uma entrevista coletiva para comentar sobre o tema. Caetano respondeu as declarações de PC Oliveira, que falou em relação ao acontecimento durante o programa "Troca de Passes", e também as acusações de que teria invadido a cabine do VAR. 

"Eu não poderia me calar, quando citado como fui ontem. Na súmula e também por um ex-árbitro hoje comentarista de arbitragem. Queria deixar bem claro que em momento algum se tentou, como disse o comentarista em rede nacional, qualquer tentativa de invasão ao VAR ou algo do tipo. Tenho muitos e muitos anos de trabalho e de forma nenhuma nós temos este tipo de atitude”, começou.

Rodrigo Caetano ainda continuou analisando o que foi colocado na súmula: "Em relação ao que o árbitro do VAR sugeriu na súmula, nós obviamente vamos fazer nossa defesa. No meu caso e do Eudes Pedro, porque lamentavelmente na legislação esportiva, a súmula é traduzida como verdade absoluta, porque no minuto no qual eu fui citado, eu nem estava próximo dos vestiários. Nós entendemos que fomos prejudicados. O que tiver adicionado a isso, nós vamos no fórum realmente pertinente para desconstruir isso”. 

Durante a entrevista coletiva, Rodrigo Caetano fez questão de dizer que o Atlético-MG enviou um ofício para CBF. O Galo quer investigar essa história a fundo e ter acesso aos áudios da cabine para enfim chegar a uma conclusão sobre o caso. 

Já hoje pela manhã nós fizemos nossa manifestação formal, como é sugerido pela comissão de arbitragem. Nós estamos solicitando os áudios entre o árbitro de campo e o de vídeo. Infelizmente, aqui no Brasil isso não é divulgado, então, se tivermos que ir até a CBF, iremos. O primeiro passo já foi feito. Nosso presidente já fez e da mesma forma, faremos o possível e impossível, para que tenhamos cada vez mais critério”, concluiu. 

ENTENDA A POLÊMICA! 

De virada, o Atlético-MG superou o Santos por 3 a 1 na noite desta quarta-feira, 13, em uma partida marcada pela grande quantidade de reclamações pelo lado dos mineiros com a arbitragem, especialmente com o assistente de Cuca, e Rodrigo Caetano como protagonistas.

Acontece que de acordo com o que foi incluído na súmula da partida, um auxiliar de Cuca e o diretor Rodrigo Caetano se revoltaram com o árbitro. O dirigente, inclusive, teria dado socos e chutes na porta da sala de operações do VAR.

Dessa forma, o árbitro Paulo Roberto Alves Junior anotou no documento do jogo que aos 41 minutos do primeiro tempo, o diretor de futebol do Atlético-MG teria dado "chutes e socos na porta da sala VOR" e usado as seguintes palavras: "Seus ladrões, parem de roubar, nós não vamos aceitar isto".

Toda essa revolta por parte do clube mineiro aconteceu por conta de um pênalti não marcado de Wagner Leonardo, zagueiro do Santos, em Zaracho. No lance, o defensor santista puxou a camisa do argentino. Além disso, faltas não marcadas também deixaram o time da casa raivoso.

Além de Rodrigo Caetano, Eudes Pedro, um dos auxiliares diretos de Cuca, além do irmão dele, Cuquinha, é citado no documento da súmula na confusão. Ele, já no fim do primeiro tempo, teria gritado: "Aqui ninguém vai nos roubar".

Por conta dessas palavras, o árbitro escreveu na súmula que se sentiu ofendido "na honra e moral". Agora, os dois casos vão virar pauta da Procuradoria do STJD, que pode acabar denunciando Eudes e Rodrigo Caetano.

Ainda de acordo com o relato da súmula, Raniel, que fez o gol do Santos, recebeu o cartão amarelo do árbitro por ir em direção à torcida do Atlético-MG comemorar fazendo gestos provocativos.

Nas imagens da transmissão, é possível fazer a leitura labial do ex-jogador do Cruzeiro, que dispara: "Eu mando aqui (Mineirão)".

Depois disso, o meia-atacante Savinho também recebeu o amarelo depois do terceiro gol do Atlético-MG, por comemorar invadindo o campo de jogo e passar em frente ao banco de reservas do Santos para provocar.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!