Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Coronavírus » PRECISA DE AJUDA

Jogador de vôlei brasileiro não consegue retornar ao país e fica de quarentena sozinho na Arábia Saudita

O atleta está pedindo ajuda através de suas redes sociais para voltar ao Brasil, já que não tem respostas do governo

Isabelly Cristaldo Publicado em 06/04/2020, às 13h00

Leonardo Felipe Amâncio está preso na Arábia Saudita
Leonardo Felipe Amâncio está preso na Arábia Saudita - Instagram

Leonardo Felipe Amâncio, não consegue sair da Arábia Saudita devido a pandemia do novo coronavírus.

O jogador de vôlei, que defendeu que defendeu nesta temporada o Thahlan Sports Club, está pedindo ajuda da Confederação Brasileira de Vôlei, CBV, para voltar ao Brasil.

Com a pandemia da COVID-19, a Liga Saudita de Vôlei foi cancelada faltando quatro jogos para acabar. O contrato por lá é por temporada, e Leonardo ficou sem vínculo com o Thahlan, que disputa a segunda divisão do país.

Mesmo assim, ao menos por enquanto, o clube manteve a residência do jogador e fornece sua alimentação: um motorista da equipe recebe a lista do ponteiro, faz suas compras e entrega a ele.

“Estou ansioso, porque o governo saudita é diferente de todos os países. Cada dia que passa, as medidas são mais restritivas. Tem cidade que já tem toque de recolher a partir das 15h e, se você sai, toma uma multa de, valor equivalente a, 12 mil reais. Pelo fato do COVID-19, faltando quatro jogos para acabar a temporada, o campeonato foi cancelado. Os aeroportos estão falando que vão abrir só em junho. Os europeus foram repatriados para França, Inglaterra, e a Embaixada não se moveu para nos colocar nesses voos. De Paris para Guarulhos estão operando normalmente. Há brasileiros aqui sem lugares para dormir. Há hotéis sendo fechados pelo governo. Não tem porque ficar aqui se a Liga foi cancelada.”

Leonardo é o único estrangeiro em sua equipe devido à uma regra na segunda divisão da Liga Saudita de Vôlei. Na primeira divisão, o limite é de dois atletas de fora do país.

Porém, ele relata que há outros brasileiros querendo voltar para o país de origem em meio à pandemia. O jogador revela que buscou a Embaixada e o Itamaraty.

“A gente não teve respaldo da Embaixada se iriam conseguir voo para repatriar a gente ou quando iam reabrir o aeroporto novamente. Entrei em contato com a Embaixada e Itamaraty tem 22 dias. Temos um grupo dos brasileiros aqui. A Embaixada sempre responde que estão tentando viabilizar isso, mas nada muda. Eu, graças a Deus, estou comendo bem, porque o clube está me ajudando. Mas há outros que vivem uma situação complicada. Nós não temos previsão alguma de voltar ao Brasil”, finalizou o atleta.


5 itens essenciais para quem gosta de vôlei

1- Bola de Vôlei Mikasa - https://amzn.to/2PkNAnQ

2- O que é vôlei: Histórias, regras, curiosidades - https://amzn.to/35YQy7c

3- Rede Vôlei Praia - https://amzn.to/366w9NB

4- Tênis Asics Gel Task Vôlei - https://amzn.to/2JpVEQq

5- Bolsa Fitness Fred Hard Vôlei - https://amzn.to/2JoFjv4

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, o SportBuzz pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!