Sportbuzz
Testeira
Colunistas / Eduardo Colli / JOGOS OLÍMPICOS!

Os Símbolos Olímpicos - Parte II

Conheça o hino olímpico e diversos juramentos e cerimônias que são realizados antes e depois dos jogos

Eduardo Colli Publicado em 24/06/2021, às 15h35 - Atualizado às 16h07

Coral do Projetos More de Niterói cantando o hino olímpico na abertura dos Jogos do Rio – 2016 - Getty Images
Coral do Projetos More de Niterói cantando o hino olímpico na abertura dos Jogos do Rio – 2016 - Getty Images

O Hino Olímpico

Com letra de Kostís Palamás e música de Spyridon Samaras, o hino olímpico foi executado pela primeira vez durante a cerimônia de abertura dos Jogos de Atenas, em 1896.

"Oh! arcaico espírito imortal, imaculado pai da
beleza, da grandeza e da veracidade,
desça, se faça presente e faça brilhar aqui e
mais além, na Glória de sua Terra e Céu.

Na corrida, na luta e no arremesso, faça
brilhar o ímpeto das nobres competições,
modelando com aço e dignidade o corpo,
coroando-o com a imperecível rama do louro.

Campos, montanhas e mares se vão contigo tal
como um alvirrubro magno templo, para o
qual se conduz aqui como seu peregrino, oh!
arcaico espírito imortal, cada nação."

Os Juramentos Olímpicos

Criado pelo Barão de Coubertin, o primeiro juramento dos atletas foi proferido pelo belga Victor Boin em 1920.

Segurando em uma das pontas da bandeira olímpica, o atleta declara:

"Em nome de todos os competidores, prometo participar destes Jogos Olímpicos, respeitando e cumprindo com as normas que o regem, me comprometendo com um esporte sem doping e sem drogas, no verdadeiro espírito esportivo, pela glória do esporte em honra às nossas equipes.”

No juramento dos árbitros que começou em Munique – 1972, um árbitro declama:

"Em nome de todos os júris e árbitros, prometo que cumpriremos as nossas funções durante estes Jogos Olímpicos em total imparcialidade, respeitando e seguindo as regras que os regem, num espírito de esportivo."

E no juramento dos treinadores introduzido em Londres – 2012, um treinador diz:

“Em nome de todos os treinadores e de outros membros da delegação, prometo que o espírito esportivo e o fair play sejam integralmente respeitados e mantidos em conformidade com os princípios fundamentais do olimpismo.”

Robert Scheidt, o maior medalhista brasileiro, fazendo o juramento no Rio – 2016 (Crédito: Getty Images)

 

A Cerimônia de Abertura

O primeiro desfile de abertura, chamado de “Parada das Nações”, ocorreu em Londres – 1908.

A delegação da Grécia (origem dos Jogos Olímpicos), abre o desfile, sendo seguida pela Equipe Olímpica de Refugiados formada por atletas de países em conflitos militares internos.

Na sequência, por ordem alfabética desfilam as delegações dos outros países, exceto a delegação do país-sede, que desfila por último. Excepcionalmente em Tóquio – 2020, valorizando os anfitriões dos próximos Jogos, o COI decidiu que os Estados Unidos (Los Angeles - 2028) e França (Paris – 2024) desfilarão antes do Japão.

Um destacado atleta de cada país é escolhido para carregar a bandeira nacional, à frente da delegação.

De um simples desfile, a Cerimônia de Abertura passou a ser um show em celebração à união de todos os povos do planeta, uma oportunidade para o país-sede apresentar sua história e promover sua cultura e seu folclore. É o evento olímpico com a maior audiência, assistido em todos os países do mundo.

Em 1896, o Rei George I da Grécia proclamou a seguinte frase: “declaro abertos os primeiros Jogos Internacionais de Atenas, que celebram a primeira Olimpíada da Era Moderna”.

Desde então, com as devidas adaptações, o supremo chefe de estado ou o nobre mais elevado da realeza do país-sede proclama a frase acima.

Protocolo da Cerimônia de Abertura:

1 - Entrada do chefe de estado do país sede, recepcionado pelo presidente do COI;
2 - Execução do hino nacional e hasteamento da bandeira do país-sede;
3 - Desfile das delegações;
4 - Introdução simbólica de pombos;
5 - Abertura dos Jogos pelo chefe de Estado do país-sede;
6 - Hasteamento da bandeira olímpica e execução simultânea do hino Olímpico;
7 - Juramentos olímpicos: atleta, árbitro e treinador;
8 - Revezamento da tocha e acendimento da pira olímpica;
9 - Programa artístico.

A Cerimônia de Encerramento

Por sugestão do australiano John Ian Wing, desde Melbourne – 1956, no encerramento dos Jogos, os atletas de todos os países, juntos e misturados, invadem a pista.

A cerimônia de encerramento tem o seguinte protocolo:

1 - Entrada pelo chefe de Estado;
2 - Execução do hino nacional do país sede;
3 - Entrada das bandeiras dos países participantes;
4 - Entrada dos atletas;
5 - Cerimônia de premiação da prova da maratona masculina;
6 - Apresentação dos atletas eleitos para a Comissão de Atletas do COI;
7 - Homenagem aos voluntários;
8 - Execução do hino grego;
9 - Arreamento da bandeira olímpica;
10 - Passagem da bandeira olímpica pelo prefeito da cidade sede da edição que se encerra para o prefeito da cidade sede dos próximos Jogos;
11 - Programa artístico da próxima cidade sede dos Jogos;
12 - Discursos do presidente do Comitê Organizador dos Jogos e do COI;
13 - Extinção do fogo olímpico acesso na pira olímpica.

Atletas conduzindo as bandeiras nacionais na cerimônia de encerramento nas Olimpíadas de Atenas - 2004 (Crédito: Getty Images)

 

 

A Cerimônia de entrega das medalhas

Após o encerramento das competições dos Jogos de Atenas – 1896, os vencedores receberam uma medalha de prata, um diploma e uma coroa de louros.

A partir de Saint Louis – 1904, o primeiro colocado passou a receber a medalha de ouro, o segundo colocado a medalha de prata e o terceiro colocado à medalha de bronze.

Até 1928, as medalhas eram entregues na cerimônia de encerramento, com os atletas vestindo roupas de gala para receber suas medalhas.

Em 1932, por sugestão do conde Henri de Baillet-Latour então presidente do COI, foi introduzida a cerimônia de premiação com o pódio estampando o número "1" no nível superior e os dois níveis mais baixos assinalados com o número "2" à direita e o número "3" à esquerda.

O protocolo da cerimônia da entrega das medalhas olímpicas:

1 - Anúncio dos dois dirigentes que irã entregar as medalhas e os ramalhetes de flores ou os presentes;
2 - Após o locutor anunciar em francês, inglês e no idioma local, o nome e o país do atleta que ganhou a medalha, ele sobe no degrau respectivo da medalha e o dirigente do COI coloca a fita que segura a medalha em seu pescoço e entrega as flores ou o presente;
3 - Nos mastros ou suportes, a bandeira do país do medalhista de ouro é posicionada no centro, a bandeira do atleta medalha de prata à esquerda e a bandeira do atleta medalha de bronze à direita. As bandeiras são hasteadas enquanto o hino nacional do país do medalhista de ouro é executado;
4 - Os atletas são obrigados a usar apenas roupas pré-aprovadas, o padrão da equipe olímpica nacional do atleta. Não podem exibir qualquer filiação política ou fazer uma declaração política no pódio.

A violação mais famosa desta regra foi a saudação “Black Power” de Tommie Smith e John Carlos no México - 1968. Por suas ações, o COI os expulsou dos Jogos.

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!