Sportbuzz
Testeira
Futebol / COMPLICADO

Ex-esposa de Ronaldo Fenômeno, Milene Domingues comenta sobre Ronald não jogar futebol: "Acho que fui eu a culpada"

Ronald, que é fruto do relacionamento de Milene Domingues e Ronaldo Fenômeno, decidiu seguir uma carreira diferente da do pai

Redação Publicado em 30/09/2021, às 08h22

Ronald, filho de Milene Domingues e Ronaldo Fenômeno - Reprodução/Instagram
Ronald, filho de Milene Domingues e Ronaldo Fenômeno - Reprodução/Instagram

Dizem que "filho de peixe, peixinho  é", mas isso não se aplica para todos os casos. Fruto do relacionamento entre Ronaldo Fenômeno e Milene Domingues, Ronald não seguiu os passos do pai, e nem da mãe, que é a rainha da embaixadinha, mas sim um bem diferente.

Em entrevista ao podcast "PodPah", a ex-esposa de Ronaldo Fenômeno disse que o filho, que hoje trabalha como DJ, acabou vivendo uma "overdose" de futebol durante a infância, e que ela pode ter influenciado nessa decisão de ficar longe do esporte.

"Eu ia parar de jogar com 30 anos, já era mãe e não queria mais que ele ficasse viajando o tempo inteiro. Ele já estava chegando na fase de pré-adolescência, tinha de nove para dez anos, e eu queria que ele tivesse uma vida normal, tadinho. Acho que fui eu a culpada que ele não joga futebol. Era só futebol, futebol, futebol...", iniciou.

Milene Domingues ainda revelou ao podcast parte da sua "dupla tarefa", na época em que conciliava a carreira de jogadora com o papel de mãe presente na vida de Ronald. 

"Quando eu voltei a jogar, depois do nascimento dele, tanto na Itália quanto na Espanha o futebol não era tão desenvolvido. Eu já tinha me separado do pai dele e sempre quis cuidar do meu filho, não queria babá. Queria ser jogadora e mãe. Eu brincava que minha mochilinha era Ronald e chuteira. Ele era o mascote dos times. Às vezes, corria com ele nas costas. Ele respirou futebol a vida inteira", disse antes de completar.

"Morava na Espanha e jogava na Itália", concluiu.

Milene ainda contou sobre uma fase curiosa na sua vida, que aconteceu em 2002, quando o seu então ainda marido Ronaldo Fenômeno foi contratado para jogar no Real Madrid junto à Inter de Milão. 

"Em 2002, eu jogava na Itália. O Brasil disputou a Copa e ganhou, o Ronaldo foi o melhor jogador e tal... aí, foi comprado pelo Real Madrid. Eu fiz toda a pré-temporada no Monza [time italiano], e quando fui jogar, meu marido foi contratado. Eu, como boa esposa, fui acompanhar", lembrou.

"Acabei indo para a Espanha, mas lá não podiam jogar estrangeiras, era uma lei que tinha lá. Aí, a gente conseguiu conversar com os clubes e com as federações, e eles falaram que mudariam a regra, mas só no ano seguinte, porque o campeonato estava em andamento. Eu não queria perder a forma física que já tinha retomado. Depois de ter sido mãe, queria continuar jogando", apontou.

Dessa forma, Milene acabou encontrando uma solução inusitada para resolver esse problema.

"O que eu fiz? Morava na Espanha e jogava na Itália. E quem ia comigo? Meu filho. Eram duas horas de voo. Eu fui pro Rayo Vallecano treinar e todo fim de semana viajava para jogar na Itália", finalizou a ex-jogadora.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!