Sportbuzz
Testeira
Futebol / TABU!

Atlético-MG: contra Boca Juniors, Galo tenta quebrar tabu na Libertadores

Atlético-MG enfrenta Boca Juniors na Libertadores e tenta recuperar retrospecto positivo no mata-mata

Redação Publicado em 13/07/2021, às 17h17 - Atualizado às 17h38

Atlético-MG tenta quebrar marca negativa contra Boca Juniors na Libertadores - Pedro Souza/Atlético Mineiro
Atlético-MG tenta quebrar marca negativa contra Boca Juniors na Libertadores - Pedro Souza/Atlético Mineiro

O Atlético-MG inicia nesta terça-feira, 13, em La Bombonera, contra o Boca Juniors, a sua caminhada no mata-mata da Libertadores de 2021. No entanto, quando o assunto é eliminatória para o Galo, o torcedor da equipe alvinegra até fica com calafrios ao lembrar das últimas participações do clube no torneio. 

Desde 2013, ano em que conquistou sua primeira e única Libertadores, o Atlético-MG passou por momentos constrangedores na competição. De lá para cá, o Galo só não participou de duas edições (2018 e 2020) e teve participações curtas e frustradas no campeonato mais desejado por Cuca na temporada. 

A melhor participação nestes oito anos foi em 2016, quando avançou até as quartas de final e acabou sendo eliminado pelo São Paulo. Porém, nas outras oportunidades em que esteve nas eliminatórias da Libertadores, o Atlético-MG deixou o torneio vezes nas oitavas de final e uma vez ainda na fase de grupos da competição continental. 

Ou seja, das últimas cinco participações do Galo na Libertadores, o clube deixou o campeonato nas oitavas de final em três oportunidades (2014, 2015 e 2017). Além disso, a experiência mais traumática para o torcedor atleticano foi na edição de 2019, quando acabou não passando da fase de grupos e frustrando seus torcedores. 

Contra o Boca Juniors, Cuca terá esse retrospecto pouco favorável do Galo para tentar se classificar para as quartas de final do torneio, fase essa que não chega desde 2016. Comparando os adversários ao qual o Atlético-MG caiu nas oitavas de final, os argentinos são disparados os mais fortes. 

Isso porque, em 2014, a equipe caiu para o Atlético Nacional, em 2015, foi eliminada para o Internacional e, em 2017, deixou a Libertadores para o Jorge Wilstermann. Desta forma, com um elenco muito mais forte e recheado de opções, se comparado com os últimos anos, o Galo tem ao seu favor nomes experientes para tentar derrubar o tradicional Boca Juniors. 


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!