Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Testeira
Futebol » CASO NINHO

Flamengo anuncia acordo com duas famílias de vítimas do incêndio no Ninho do Urubu

Clube fecha acordo com familiares de Arthur Vinicius e Pablo Henrique em conversas com o vice-presidente Rodrigo Dunshee

Redação Publicado em 23/12/2020, às 17h46 - Atualizado às 17h47

Flamengo anuncia acordo com duas famílias de vítimas do incêndio no Ninho do Urubu
Flamengo anuncia acordo com duas famílias de vítimas do incêndio no Ninho do Urubu - GettyImages

Nesta quarta-feira, 23, o Flamengo anunciou que chegou a um acordo de indenização com as famílias de Arthur Vinicius e Pablo Henrique, dois dos dez garotos que morreram no incêndio no Ninho do Urubu, em 8 de fevereiro de 2019.

Por meio de comunicado, o clube confirmou que os acordos ocorreram após conversas entre os pais das vítimas e Rodrigo Dunshee, vice-presidente Geral e Jurídico do Flamengo. 

Anteriormente, o clube já havia chegado a acordos com os responsáveis de Athila Paixão, Bernardo Piseta, Gedson Santos, Jorge Eduardo, Samuel, Vitor Isaías e o pai de Rykelmo.

O Flamengo ainda tem pendências a resolver com a mãe de Rykelmo e com os familiares de Christian Esmerio. Em entrevista ao SporTV, Dunshee falou sobre o andamento das conversas.

“Tive uma reunião com eles (pais de Christian Esmeiro) e conversamos muito, foram muito compreensivos também conosco, apesar de ter acontecido algo tão lamentável, mas sinto que a conversa foi boa. A mãe dele falou que discordava de algumas coisas que o clube fez, houve alguns mal-entendidos, outras coisas em que ela tinha razão, pedi desculpas, estamos no caminho de uma conciliação. É muito importante a conversa olho no olho, ouvindo as dificuldades. É muito doloroso. A distância é difícil, mas agora estamos mais próximos”, declarou o vice-presidente Geral e Jurídico.

Caso Ninho do Urubu:

No dia 8 de fevereiro, um incêndio no Ninho do Urubu culminou na morte de 10 jogadores da base do Flamengo. O incêndio atingiu o setor mais velho do CT, que servia de alojamento para as categorias de base e abrigava jogadores de 14 a 17 anos de idade. As vítimas estavam dormindo no momento do incêndio, o que teria contribuído para o pior da tragédia.

As 10 vítimas do incêndio foram: os goleiros Christian Esmério, 15 anos, e Bernardo Pisetta, 14 anos; dos zagueiros Pablo Henrique da Silva, 15 anos, e Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; do lateral-direito Samuel Thomas de Souza Rosa, 15 anos; dos volantes Jorge Eduardo dos Santos, 15 anos, e Rykelmo de Souza Viana, 16 anos; do meio-campista Gedson Santos, 14 anos; e dos atacantes Vitor Isaías, 15 anos, e Athila Paixão, 14 anos.

Veja a nota do Flamengo na íntegra:

“O Clube de Regatas do Flamengo fechou mais dois acordos com os familiares dos Garotos do Ninho que foram vítimas do terrível incêndio do dia 8 de fevereiro de 2019, no Centro de Treinamento George Helal. Após muito diálogo com o vice-presidente Geral e Jurídico rubro-negro, Rodrigo Dunshee, os pais de Arthur Vinicius e Pablo Henrique chegaram a um entendimento. Com estes dois, são oito acordos e meio - com os responsáveis de Arthur Vinicius, Athila Paixão, Bernardo Piseta, Gedson Santos, Jorge Eduardo, Samuel, Pablo Henrique, Vitor Isaías e o pai de Rykelmo - fechados entre o clube e as famílias.

"Conversamos com os pais dos meninos (Arthur Vinícius e Pablo Henrique) e fechamos mais dois acordos. Tive a oportunidade de me aproximar deles. Cada um tem seu tempo, é uma situação muito dolorosa. Eles têm razão em algumas de suas ponderações, em achar que poderíamos ter sido mais próximos, mas as diferenças foram superadas. A perda dos meninos nunca será uma página virada, mas sabemos que a dor diminui um pouco quando fechamos certas feridas, encerramos certos assuntos", disse Dunshee, em entrevista ao programa Seleção SporTV, na tarde desta quarta-feira (23).

O dirigente rubro-negro também falou sobre o andamento das conversas com a família de Christian Esmerio.

"Tive uma reunião com eles e conversamos muito, foram muito compreensivos também conosco, apesar de ter acontecido algo tão lamentável, mas sinto que a conversa foi boa. A mãe dele falou que discordava de algumas coisas que o clube fez, houve alguns mal-entendidos, outras coisas em que ela tinha razão, pedi desculpas, estamos no caminho de uma conciliação. É muito importante a conversa olho no olho, ouvindo as dificuldades. É muito doloroso. A distância é difícil, mas agora estamos mais próximos", disse.

Dunshee reiterou, ainda, que sempre será "prioridade máxima" do Flamengo atender às famílias.

"A gente nunca esqueceu e nunca vai esquecer. O presidente Landim sempre me pediu prioridade máxima nesta questão, para estar próximo e trabalhar em respeito às famílias dos atletas que faleceram", concluiu.”


 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!