Sportbuzz
Testeira
Futebol / EITA!

Após choro de Neymar, Neto detona craque da Seleção Brasileira

Neto não perdoou o desabafo de Neymar e criticou o choro do craque da Seleção Brasileira

Redação Publicado em 18/06/2021, às 16h12 - Atualizado às 16h22

Neymarfoi criticado por Neto, após chorar com a camisa da Seleção Brasileira - Lucas Figueredo/CBF
Neymarfoi criticado por Neto, após chorar com a camisa da Seleção Brasileira - Lucas Figueredo/CBF

Na última quinta-feira, 17, a Seleção Brasileira entrou em campo e venceu sem dificuldades o Peru por 4 a 0. O grande destaque do jogo foi Neymar, que desfilou em campo, deixou a sua marcar e também chamou a atenção de todos com um desabafo e choro em entrevista depois da partida válida pela Copa América. 

No entanto, o craque da Seleção Brasileira não conquistou Neto, que nesta sexta-feira, 18, fez questão de criticar Neymar. O apresentador do programa "Os Donos da Bola" relembrou as festas que o atacante promoveu e destacou os luxos que o atacante do PSG possui. O ex-jogador aproveitou e ironizou o desabafo. 

"E o Neymar, por sinal, disse, depois do jogo contra o Peru, que estava emocionalmente mal porque a vida dele está um inferno há dois anos: festa em Mangaratiba, helicóptero, umas youtubers. (...) E ele chorou ontem contra o Peru, último colocado da Copa América!", afirmou. 

Neto ainda continuou comentando sobre o choro de Neymar, após a vitória da Seleção Brasileira: "Aí, festa em Mangaratiba, renovou contrato com o PSG até 2025, é o camisa 10, vai alcançar o Pelé, não tem nenhuma Copa do Mundo, não jogou mais que o Cafu na seleção, mais que o Ronaldo, que o Romário, o Pelé tira de lado. Tomou uns tabefe na orelha da moça - e foi bem por não revidar. Ah, vem chorar depois depois de um jogo contra o Peru, que a única coisa boa lá é o Ceviche, um time desgraçado de ruim".

"'Ah, mas vai alcançar o Pelé'. Em quê? Em número de gols? Mas e em título? Pelé é Pelé, Romário, Rivaldo, vocês esquecem do Garrincha, do Amarildo. Esse país é tão ruim, que esquece do Jairzinho, que fez gol em todos os jogos da Copa de 1970. Nem o Pelé fez. E se não fosse o gol dele contra a Inglaterra, não seria campeão. Esquece do Zagallo. O que o Neymar fez?", finalizou. 

O DESABAFO DE NEYMAR!

A Seleção Brasileira goleou o Peru por 4 a 0 nesta quinta-feira, 17, pela primeira fase da Copa América. Neymar foi o destaque da partida no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, e comandou mais uma vitória do Brasil.

O camisa 10 marcou contra os peruanos e chegou a 68 gols pela seleção, ficando a nove de se tornar o maior artilheiro da história da seleção ao lado de Pelé, segundo a Fifa. Em entrevista após o duelo, Neymar se emocionou ao falar sobre sua história com a camisa do Brasil.

“Para mim, é uma honra muito grande fazer parte da história da Seleção Brasileira. Para ser bem sincero, meu sonho era sempre jogar pela Seleção, vestir essa camisa. Nunca imaginei chegar a esses números. É até emocionante, porque passei por muitas coisas nesses dois últimos anos que são bem difíceis, complicadas, e esses números não são nada. A felicidade que eu tenho de jogar pelo Brasil, de representar meu país, minha família”, disse Neymar emocionado, em entrevista ainda à beira do campo.

“Hoje, a gente está vivendo um momento muito atípico, e ser espelho de alguém é uma alegria enorme. Realmente, espero que todos os que gostam de futebol estejam orgulhosos de mim, porque esses números não são nada perto do que realmente importa para mim”, completou.

Apesar das contas da Fifa, a CBF ainda aponta que faltam 27 gols para Neymar igualar os números de Pelé. A entidade brasileira considera jogos contra clubes e combinados.

O camisa 10 ainda comentou sobre o clima no vestiário da Seleção Brasileira a respeito da indefinição quanto a realização da Copa América. Ele reiterou a declaração de Marquinhos e garantiu que o grupo comandado pelo técnico Tite nunca pensou em boicotar a competição.

“Foi bem complicado, a gente chegou aqui sem saber de muita coisa que estava acontecendo. Não sabíamos se teria ou não Copa América. Desde o começo, respeitamos muito as hierarquias, a gente nunca vai dizer não à camisa da Seleção Brasileira. Jamais vou dizer não ao meu país. Discorda e ter opiniões diferentes é um respeito pelo outro. Tínhamos a nossa opinião, a gente expressou. Foi bem complicado e difícil, mas a alegria de estar em campo pela Seleção sempre vai existir”, concluiu.

A Seleção Brasileira volta a campo na próxima quarta-feira, 23, às 21h (de Brasília), contra a Colômbia.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!