Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram Sportbuzz
Basquete » Nostalgia

Cristiano Felício, astro do basquete, relembra infância humilde: "Cortei a bacia da minha avó para fazer de cesta"

Estrela do Chicago Bulls, nos Estados Unidos, o jogador enfrentou dificuldades no início da carreira

SportBuzz Digital Publicado em 23/08/2019, às 08h27

None
- Cristiano Felício (Crédito: Getty Images)

Cristiano Felício, que atua no Chicago Bulls, nos Estados Unidos, participou nesta semana do programa Conversa com Bial, da TV Globo.

Durante o bate-papo, o jogador de basquete emocionou o público ao relembrar a infância humilde.

“Tinha uma quadra na escola que era usado para Educação Física, então, não estava liberada sempre. Quando eu comecei, como não tinha como jogar na escola e para não ficar andando uma hora, eu peguei uma bacia da avó, cortei o fundo e coloquei na parede. Eu criava bola de tudo que era jeito, colocava papel dentro de sacolinha, pegava papel mesmo", contou ele.

O uniforme adequado também era um problema no começo da carreira e o atleta chegou a usar sapato social para entrar em quadra.

"Eu usava o que tinha. Já usei muito sapato social para jogar basquete. O que eu tinha, eu estava usando, e muitas vezes tinha que durar seis, sete, oito meses”, relembrou ele.

No dia 31 de agosto, Cristiano defenderá o Brasil no Campeonato Mundial de Basquetebol. Nossa Seleção enfrentará a Grécia, Montenegro e Nova Zelândia na primeira fase.

Anderson Varejão, outra estrela do basquete, também conversou com Pedro Bial e deu sua opinião sobre as chances do Brasil na competição.

"Vai ser difícil, mas a gente sabe que em um momento como esse, quando você tem potencial, tudo pode acontecer. A gente tem um grupo que é uma mescla de jogadores mais experientes com mais novos que estão chegando. A gente sabe que o mais importante de tudo é o grupo chegar bem, jogando redondinho, entendendo o que tem que fazer para ser importante, jogando um para o outro”, avaliou ele.

Bial, Varejão, Cristiano Felício e Alberto Bial (Crédito: Globo/Fábio Rocha)