Sportbuzz
Testeira
Vôlei / EXCLUSIVA - BRUNINHO!

Bruninho revela planos e relembra glórias e dores nas Olimpíadas

Em entrevista exclusiva ao SportBuzz, Bruninho fez um balanço completo da sua trajetória, abriu o jogo sobre a carreira e projetou os próximos passos

Samira Paiva e Guilherme Assumpção Publicado em 04/03/2022, às 17h30

Bruninho é um dos grandes destaques do esporte mundial - GettyImages
Bruninho é um dos grandes destaques do esporte mundial - GettyImages

Sempre com forte ligação com a quadra de vôlei, Bruninho (35) alcançou nível impressionante mesmo depois de muitas críticas e dúvidas sobre seu potencial. Filho do técnico Bernardinho e da ex-atacante Vera Mossa, o capitão da Seleção Brasileira teve que superar a desconfiança de muita gente para subir ao lugar mais alto do pódio e se tornar um campeão olímpico.

Depois de tantos momentos gloriosos na carreira, Bruno Rezende sabe que ainda pode render muito mais nos próximos anos. Para isso, o craque das quadras se transferiu ao Modena, da Itália, com a intenção de alcançar o maior nível possível e sonhar com a presença nos Jogos Olímpicos de Paris-24.

 

BRUNINHO - ENTREVISTA COMPLETA!

Diante de tantas conquistas e momentos importantes, Bruninho vem vivendo cada período da carreira com muita cautela, já que tem 35 anos. Mesmo assim, o ‘Capita’ - como é conhecido pelos parças – demonstra ter muita ambição para os próximos desafios dentro do vôlei, além de liderar os jovens que vêm surgindo na seleção.

Com todo o cenário relatado, Bruno Rezende concedeu entrevista exclusiva à repórter Samira Paiva, do SportBuzz e da AnaMaria Digital, e fez um passeio completo pela carreira, as participações olímpicas e também pelo possível encontro com Bernardinho nas Olimpíadas de Paris, já que o pai é o atual treinador da França. Confira!

Bruninho e Bernardinho abraçados
Bruninho sempre recebeu questionamentos por ser filho de Bernardinho (Crédito: GettyImages)

 

BRUNINHO – FAMÍLIA!

Questionado pela reportagem do SportBuzz e da AnaMaria Digital sobre sua relação familiar com o vôlei, Bruninho deixou claro que não teria como praticar outro esporte, mesmo que tenha tentado outras possibilidades. Ainda grávida, Vera Mossa continuou atuando dentro das quadras, além do contato de Bernardinho com o esporte olímpico.

Olha, eu praticamente nasci dentro de uma quadra, né? Minha mãe jogou comigo grávida até os 6, 7 meses, né? Foi até campeã brasileira comigo na barriga dela. Então, de certa maneira, eu literalmente nasci dentro de uma quadra de vôlei. Fui me apaixonando por aquilo, se tornou a minha vida também, né, foi natural essa minha paixão pelo vôlei”, detalhou.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bruno Rezende (@bruninho1)

 

BRUNINHO – INÍCIO DA CARREIRA!

Sempre com muita desconfiança por ser convocado pelo pai Bernardinho, Bruninho chegou a ser vaiado durante partida realizada no Maracanãzinho. Com muita concentração diante da partida, o craque sequer percebeu as críticas. Questionado sobre o tema, o levantador afirmou não ter ficado chateado com a situação.

Naquela época, eu acho que eu sofri bastante no início, principalmente, mesmo após ter conquistado títulos pelo meu clube, ter sido convocado pelo meu pai, né? O que a mídia dizia ‘será que ele foi convocado só por ser filho dele?’. Em alguns momentos, naqueles anos, eu me sentia um pouco inseguro, me perguntava, tinha dúvidas, né? ‘Pô, será que eu mereço?’”, completou.

Para te falar a verdade, de tão focado e concentrado que eu tentei ficar ao máximo naquele momento, eu nem senti direito essa vaia, eu fui saber depois que mandaram muitas mensagens na época, eu não tinha escutado direito e eu entendi também. Em momento algum eu fiquei chateado”, disse Bruninho.
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por SportBuzz (@sportbuzzbr)

 

BRUNINHO – OLIMPÍADAS!

Já passando para os momentos de glória dentro do esporte, Bruninho relembrou o peso tirado das costas com a medalha de ouro conquistada nas Olimpíadas de 2016. Bastante sincero, o atleta confessou que a dura derrota para a Rússia na final olímpica de 2012 voltou à sua mente durante a decisão contra a Itália.

Passou, passou. Eu lembro até hoje no 2 a 0 que a gente tá mudando de lado contra Itália no Maracanãzinho, eu sento no banco assim aí pego a toalha, eu fecho os olhos e me vem ‘será que vai acontecer aquilo de novo’. Mas é lógico que é importante você reconhecer esses momentos e o trabalho [mental] que eu fiz pós Londres”, relembrou Bruno.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bruno Rezende (@bruninho1)

 

Ao longo daquele ano fomos nos preparando para esse momento do Rio nas Olimpíadas, que era o maior sonho de qualquer atleta disputar uma Olimpíada dentro de casa. A gente tinha essa responsabilidade…, mas o terceiro set sem dúvida foi um set daquela final onde eu acho que eu senti que eu fiquei mais concentrado talvez em toda minha vida”, continuou.

É lógico que aquele primeiro minuto, dois minutos [depois da conquista], eu lembro, vejo algumas fotos, alguns vídeos, era quase como um desabafo assim, eu ajoelhei, gritava quase como algo de raiva… esse é o dia mais especial da minha carreira, é algo que só de pensar já fico arrepiado porque é difícil até de descrever”, vibrou Bruninho.
Bruninho e Serginho abraçados
Bruninho desabafa após conquista olímpica (Crédito: GettyImages)

 

BRUNINHO – TÓQUIO 2020!

Apesar dos momentos de glória, Bruninho sabe que o esporte proporciona também derrotas dolorosas e que acabam marcando uma equipe ou uma geração. Sobre isso, o levantador foi perguntado sobre a disputa das Olimpíadas de Tóquio, que acabou sem o Brasil no pódio do vôlei masculino. Para ele, os jogadores precisavam ter feito algo mais.

A gente chegou lá como um dos favoritos para essa Olimpíada e as coisas não estavam acontecendo como a gente gostaria. A gente não estava tendo aquela consistência e aos poucos fomos melhorando de novo. A gente chega na semifinal contra Rússia, que eu acho que é o jogo chave para a gente”, iniciou Bruno Rezende.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bruno Rezende (@bruninho1)

 

Muitas vezes ele é definido em certos momentos, em certos detalhes, já tentei fazer algumas reflexões, difícil né, o que eu poderia ter feito diferente, como nós poderíamos ter reagido àquele momento e aí a gente acaba perdendo aquele jogo pra Rússia e vai disputar uma medalha de bronze já um pouco ferido”, relembrou o capitão do Brasil.

Eu acho que pensando em todo o processo, a gente trabalhou muito duro, se dedicou ao máximo. Faltou algo. É difícil hoje ter certeza do que faltou, com certeza faltou porque a gente não conseguiu sair de lá com uma medalha e a gente tinha condição, mas faz parte do esporte”, concluiu Bruninho.
Bruninho vibrando bastante
Bruninho é conhecido por seu talento e pelo jeito vibrante (Crédito: GettyImages)

 

BRUNINHO – OUTROS TRECHOS!

Encontro com Bernardinho!

- Pensando caso possa acontecer, pode ter certeza que o lado profissional ele, nesse momento, aflora. Cada um tem que batalhar pelo seu, a gente teve já muitos anos de trabalho juntos e já tinha uma relação profissional e agora não vai ser diferente, né? A gente consegue totalmente deixar de lado isso, torço pelo melhor e claro para ele, que seja depois do Brasil sempre!

Futuro!

- Olha primeiro que assim, a nossa vida é feita de momentos e eu estou tentando cada vez mais viver no presente. Para a Olimpíada faltam mais de dois anos, né? Eu tento pensar sempre no presente, tem muita coisa para acontecer ainda até lá. Então é se preparar e estar pronto e se Deus quiser as coisas vão dar certo para que eu possa estar lá.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bruno Rezende (@bruninho1)

 

Futuro da seleção!

- O Brasil vai estar sempre em boas mãos. Lógico que os resultados a gente espera que sejam os melhores, mas a gente vê que hoje em dia existe um equilíbrio muito grande, que existem outras seleções e que o esporte faz parte de vitórias e derrotas. Mas o importante é isso, é ter essa filosofia e essa mentalidade de se dedicar ao máximo, de ter a paixão mesmo daquilo e de ter orgulho mesmo de representar o nosso país. Essas foram as coisas que os caras da outra geração deixaram para nós, e a gente espera passar para os jovens.

Sonho para a vida!

- Eu sonho muito em ter um filho e uma família. Durante a minha carreira eu acabei me tornando um cara muito focado naquilo que eu tinha que fazer dentro de quadra e isso me tirou certas coisas talvez da parte pessoal, mas foi uma escolha que eu fiz e estou realizado naquilo que eu faço.


 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!