Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Mais Esportes / BASQUETE!

Conheça a brasileira que vive estrelato no basquete universitário dos EUA

Kamilla Cardoso tem vida de celebridade no exterior

Redação Publicado em 08/09/2023, às 13h44

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Mineira recebeu o prêmio de MVP na Copa América de basquete feminino - Foto: Reprodução
Mineira recebeu o prêmio de MVP na Copa América de basquete feminino - Foto: Reprodução

Aos 22 anos de idade, Kamilla Cardoso, natural de Minas Gerais, é uma figura de destaque na seleção brasileira de basquete e desfruta de uma vida digna de celebridade nos Estados Unidos. Se retrocedêssemos sete anos no tempo, é possível que Kamilla Cardoso não hesitasse em fazer as malas para deixar o Brasil, considerando o brilhante futuro que a aguardava.

Recentemente, ela conquistou o título de campeã e recebeu o prêmio de MVP na Copa América de basquete feminino, realizada no México no último mês. Convidada a participar do programa "Bola da Vez", transmitido ao vivo pela ESPN no Star+ em 26 de agosto, Kamila falou mais sobre o assunto.

Kamilla, que impressiona com sua altura de 2,01 metros, não é apenas uma das jogadoras de basquete mais promissoras do Brasil, mas também carrega um histórico de realizações impressionantes. Atuando como pivô no South Carolina Gamecocks, da Universidade da Carolina do Sul, ela alcançou um feito sem precedentes ao se tornar a primeira brasileira a conquistar o título da NCAA, a prestigiada liga universitária de basquete feminino dos Estados Unidos, em 2022. Desde então, sua vida tomou um rumo notavelmente diferente daquela que tinha quando partiu do Brasil aos 15 anos.

“Acho que, se eu não tivesse ido pra fora, não teria me tornado quem sou hoje. Acho que o basquete do Brasil, sim, é muito bom, só que os Estados Unidos estão em outro nível. As pessoas são mais experientes, o tático delas é melhor, e aqui no Brasil nem sempre é assim. Acho que estamos melhorando bastante nisso, mas a grande diferença daqui e dos Estados Unidos é que as crianças com quatro, cinco anos já estão aprendendo várias coisas”, declarou a atleta.

Durante sua participação no programa Bola da Vez, Kamilla Cardoso também compartilhou os motivos pelos quais conquistou o status de estrela após seus feitos no cenário do basquete universitário dos Estados Unidos.

“Na Carolina do Sul nós temos o maior número de fãs do College, com 18 mil (torcedores). Então, quando você anda na rua todo mundo sabe quem você é. Gosto muito do carinho que recebo. Paro, tiro foto, respondo mensagem, acho muito legal. No começo (jogar com tanta gente assistindo), deu um frio na barriga, mas agora que a gente se acostumou, é muito legal. Usamos a energia deles ao nosso favor, jogamos por eles. É uma emoção muito grande, te anima, inspira a jogar melhor", continuou. 

Kamilla ainda completou a análise: "A maioria dos adversários são respeitosos. Normalmente, no Tennessee a torcida é mais hostil, mas também nossos fãs vão, tem o ônibus que leva. A nossa torcida é bem grande mesmo estando fora da nossa casa”.

Dawn Staley fez convite a Kamilla Cardoso

Kamilla Cardoso inicialmente ganhou destaque em competições de ensino médio (High School) nos Estados Unidos, onde suas habilidades chamaram a atenção. Foi nesse momento que Dawn Staley, uma verdadeira lenda do basquete norte-americano, com três medalhas de ouro olímpicas como jogadora e também uma vitoriosa carreira como treinadora, incluindo conquistas em campeonatos mundiais e outros torneios, fez o chamado que a levou a se unir à equipe da Carolina do Sul.

"Na verdade, o primeiro convite que recebi dela eu ainda estava no High School. A universidade ficou no meu top 5 e eu fiquei muito feliz, porque ela é uma inspiração de mulher, uma ótima treinadora, foi uma ótima atleta. E ela é uma lenda lá nos Estados Unidos e aqui também. É uma pessoa bem legal fora das quadras, dentro ela é bem rígida. Só quer que a gente dê o nosso máximo nas quadras, que se esforce”, relembra a jovem.

*com colaboração de Savanna Machado