Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Outros Esportes » SKATE!

Skate nas Olimpíadas: Rony Gomes explica principais diferenças entre as modalidades Olímpicas e o skate vertical

Esporte entrou para os Jogos Olímpicos com a missão de renovar e trazer mais audiência para a competição

Redação Publicado em 26/03/2021, às 10h32

Rony Gomes durante a disputa do X Games
Rony Gomes durante a disputa do X Games - GettyImages

Em 2016, o Comitê Olímpico Internacional anunciou que a partir das Olimpíadas de Tóquio, o skate seria considerado um esporte Olímpico. A modalidade chegou na principal competição do mundo com o objetivo de renovação e também de trazer mais audiência.

O skate estreia nas Olimpíadas com duas modalidades: park e street, tanto masculino quanto feminino.

O COI optou por apenas essas duas vertentes, deixando de fora as tradicionais como half pipe, vertical, mega rampa, entre outras. 

Porém, para você entender melhor cada uma delas, como foi a classificação para participar dos jogos e como vai ser a competição de skate nos Jogos Olímpicos de 2021, o SportBuzz conversou com o skatista profissional Rony Gomes.

Além de contar as diferenças entre os estilos, o esportista também deu dicas valiosas para quem está começando. Confira:

Quando é a estreia?

A estreia ficará por conta do Street masculino no dia 25 de julho, um domingo, às 9h (horário do Japão), no Ariake Urban Sports Park.

No dia seguinte, dia 26 de julho, segunda, no mesmo horário e local, será a vez do Street feminino.

O Park fecha a participação do skate nos dias 4, quarta-feira no feminino e 5 de agosto, quinta-feira, no masculino, com ambos no mesmo espaço e horário de início.

Como vai funcionar?

Cada modalidade (Park e Street) e categoria (feminina e masculina) contará com 20 skatistas em Tóquio. Em cada dia de evento, as disputas serão divididas em semifinal e final (8 melhores).

Conheça as modalidades Olímpicas

O street é a base essencial do skate. Nele, a pista simula obstáculos de rua como escadarias, rampas e corrimões.

Já o park é uma das mais novas modalidades do esporte, com diversas complexidades, como transições acima de três metros e alguns elementos de street, sendo que os obstáculos "interagem" entre si, ou seja, o skatista consegue completar uma manobra e emendar outras, o que requer muita habilidade.

Para ficar mais fácil, Rony Gomes explicou as principais diferenças entre essas duas modalidades, e contou que para praticar o vertical hoje, ele também precisou de basear no park.

"Na verdade a modalidade de park é bem parecida com o modalidade que eu ando, na verdade eu ando de park também já faz um tempo só que não é o meu foco principal, e hoje em dia quem anda no park é muito importante andar no vertical que a minha modalidade principal que é aquela rampa em forma de ‘U” só que ela é um pouco mais alta, só que é uma rampa que proporciona você mandar manobras de giro, como 540 manobras de flip muito mais fácil, então hoje quem está focado no park está indo competir nas Olimpíadas, precisa passar pela escolinha do vertical para aprender certas manobras e começar a mandar no park, então são modalidades que uma une a outra então park também não descartei totalmente da minha vida, eu ainda ando, ainda participou de eventos quando rola aqui no Brasil, mas não deixo de lado vertical e a mega rampa, que são as modalidades que eu mais gosto", disse.

Classificatórias

O skate brasileiro pode ter até 12 representantes nas Olimpíadas, sendo três por cada modalidade e categoria.

As classificatórias foram divididas em duas janelas:

A primeira delas foi encerrada com as disputas dos mundiais de Park e Street em setembro de 2019, em São Paulo.

A segunda foi interrompida por conta do coronavírus, tendo data de encerramento estendida para 29 de junho de 2021, mas ainda assim, a World Skate ainda não sinalizou data de retorno dos eventos.

O ranking classificatório para Tóquio será composto pelas duas melhores notas da primeira janela e pelas quatro melhores da segunda, que teve um evento realizado, o Oi STU Open, em novembro de 2019, no Rio de Janeiro.

Além dos resultados, ainda serão levados em conta os seguintes fatores para a composição dos 20 skatistas por modalidade e categoria:

- Cada país poderá contar com no máximo 3 skatistas;

- Todos os continentes devem ter pelo menos 1 representante;

- 1 vaga fica reservada ao skatista japonês mais bem colocado do ranking mundial, independentemente da posição;

- Os três primeiros colocados dos mundiais de 2021 estarão diretamente classificados para os Jogos, independentemente da posição que ocupavam no ranking.

A Seleção Brasileira

A Seleção Brasileira de skate conta atualmente com 22 integrantes, sendo no park feminino cinco, park masculino seis, street feminino seis e Street masculino cinco. 

Depois do encerramento da primeira janela classificatória para as Olimpíadas, todos os 21 nomes que integravam o top 20 do ranking mundial foram "Convocados".

O adiamento dos Jogos abriu um novo ciclo para a seleção, permitindo com que LucasRabelo se tornasse mais um "Convocado". Com um terceiro lugar no Oi STU Open em 2019, o skatista hoje integra o top 20 do ranking mundial.

Os já convocados

Os destaques ficam por conta da Campeã Mundial de street, Pâmela Rosa, e da vice, Rayssa Leal, de apenas 11 anos, além da estrela Letícia Bufoni. Elas são números 1, 2 e 4 do ranking olímpico, respectivamente.

No street masculino, temos Kelvin Hoefler, Giovanni Vianna, Carlos Ribeiro e Felipe Gustavo.

Já no park masculino, vale a atenção para o Vice-Campeão Mundial, Luizinho Francisco, e o terceiro colocado, Pedro Quintas, fora Pedro Barros, considerado principal nome da categoria, já que é o terceiro do ranking mundial hoje e venceu o título de 2018.

No park feminino, temos Dora Varella, Isadora Pacheco, Yndiara Asp, Victoria Bassi e Letícia Gonçalves.

Rony ainda sonha com as Olimpíadas

No entanto, mesmo que a modalidade que Rony pratica não esteja nesta edição das Olimpíadas, o skatista sonha em um dia poder competir, já que é um dos poucos torneios que ainda não teve a oportunidade de participar.

"Com certeza, eu acho que minha a modalidade onde eu pratico é uma modalidade onde a galera tem a longevidade um pouco maior né que é o vertical e a mega rampa, então o skate também está em meio que um teste, se tudo der certo, se tudo for legal nas Olimpíadas, provavelmente devem é aumentar as modalidades, a World skate que a Confederação que é a organização que que faz os eventos de skate para as Olimpíadas já tem começado a organizar os eventos de vertical, então com certeza se o vertical entrar é um dos meus sonhos é está participando também", contou.

Rony ainda deu um conselho valioso para aqueles que estão começando a praticar o skate e também sonham em um dia chegar aonde ele chegou.

"Um conselho que eu dou é tentar sempre se divertir né, como eu falei meu pai na época me ensinou muito a ser responsável, humilde, honesto, então quando você for andar de skate tem que ser isso entendeu tem que levar em conta a parceria com os amigos, enfim ajudar o outro, eu acho que você sendo um cara legal, um cara gente fina, você só tende a crescer no esporte só tem de aprender mais manobras só tem de andar em mais lugares, então é difícil falar de mim mesmo, mas pô, eu vou em vários lugares no mundo inteiro, sou super bem recebido pelas pessoas das melhores formas possíveis, então essa é uma dica que eu dou aí pra galera, ser humilde ser responsável e atrás dos seus sem passar por cima de ninguém", contou.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!