Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz

Como os atletas lidam e convivem com suas dores?

Apesar dos esportistas estarem acostumados com lesões e contusões em suas carreiras, elas requerem atenção

Redação Publicado em 08/03/2021, às 15h52

Como os atletas lidam e convivem com suas dores
Como os atletas lidam e convivem com suas dores - Andre Ouellet/Unsplash
Dor é sinônimo de esporte. Atletas de alta performance, acostumados com jogos e duelos decisivos, estão habituados com essa sensação. Alguns até apreciam o desafio de “forçar a dor”, para testar seus limites e saber até onde o corpo pode aguentar. Atualmente, fisiologistas e preparadores físicos conseguem monitorar suas performances para terem a certeza de que atitudes prejudiciais não sejam tomadas.
 
Especialistas afirmam que a dor pode restringir a capacidade de concentração e minar o potencial de desempenho de um atleta. Quanto maior a dor, menor será o seu rendimento, não só fisicamente, mas também em aspectos psicológicos. A relação entre a dor e o esporte é repleta de desafios para os esportistas, e também para as comissões técnicas que os acompanham.
 
 
Ao mesmo tempo, existem análises científicas de que o exercício físico aumenta a tolerância à dor e seu limiar, ou seja, o mínimo de estímulo necessário para o indivíduo senti-la. Esse processo acontece a partir da liberação de endorfina, que tem efeito analgésico no corpo humano. Ela é capaz de proporcionar uma sensação prazerosa após a prática do exercício. Isso acontece muito entre atletas. Assim, é natural ouvir em uma entrevista pós-jogo um jogador dizer que só depois de um tempo após receber uma pancada é que ele começou a sentir dores.
 
Atletas que disputam esportes de contato, como lutas, futebol e rugby, podem ter maior tolerância à dor do que atletas de outras modalidades. Apesar da dor ter um forte componente subjetivo e de difícil mensuração, o fator psicológico parece influenciar nesses casos. Dados mostram que esses atletas se queixam menos e, ainda, aguçam os mecanismos de enfretamento da dor conforme se envolvem mais com a modalidade.
 
 
Outro ponto importante, que extrapola os limites do psicológico e tem a ver com a dor esportiva e a maneira como os atletas lidam com ela, é que o corpo dos atletas consegue ativar uma série de processos químicos adaptativos e de reação à dor. Em momentos de estresse, o organismo aumenta ainda mais essa guerra química, produzindo grandes quantidades de adrenalina e noradrenalina. Essas substâncias são importantes no controle da pressão arterial e do metabolismo, e conferem ao corpo maior tolerância à dor.
 
Mas nem tudo é tão simples ou automático. Para que um corpo possa dar esse tipo de resposta, é natural que ele seja treinado. Por isso, atletas amadores precisam estar atentos aos sinais. Estudos indicam que alguns indivíduos não respondem aos estímulos nocivos da mesma maneira. Ao intensificar a exposição do corpo à dor prolongada, esses estímulos tendem a aumentar ainda mais a sensação da dor a longo prazo.
 
Por isso, o tratamento da dor deve ser feito sempre com muita responsabilidade. Ainda que testar os limites corporais seja algo saudável, é preciso fazer uma espécie de manutenção, como se fosse um carro. Consultar fisioterapeutas, acupunturistas e outros especialistas pode ser um fator decisivo para que o atleta mantenha o alto rendimento por mais tempo e tenha mais sucesso na carreira.
 
Não à toa, muitos ex-atletas se queixam de dores, muitas vezes insuportáveis, em articulações e estruturas mais acometidas por problemas de desgaste, como joelho e coluna. Já é comprovado que atletas de alto nível são mais suscetíveis a desenvolverem doenças artríticas antes mesmo de entrarem na fase idosa.
 
 
Ainda existe o problema das lesões, que nem sempre são tratadas da maneira adequada, e que, por força do momento de cada atleta, os obrigam a continuar a competir. É aí que entram em ação os medicamentos de controle da dor, os chamados pain killers, ou analgésicos, em português.

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!