Sportbuzz
Olimpíadas / AO SOM DO FUNK!

Rebeca Andrade explica a escolha por 'Baile de Favela'

Ginasta se apresentou ao som de Beyoncé na Rio 2016, mas optou por trocar de estilo para esse ciclo olímpico

Redação Publicado em 29/07/2021, às 19h30 - Atualizado às 19h43

Rebeca Andrade explica escolha por "Baile de Favela" - Getty Images
Rebeca Andrade explica escolha por "Baile de Favela" - Getty Images

Nesta terça-feira, 29, Rebeca Andrade ganhou a medalha de prata individual geral da ginástica artística das Olimpíadas de Tóquio, um feito histórico, pois foi a primeira medalha olímpica na história da ginástica feminina do Brasil.

Um fato que chamou muito a atenção do público foi a trilha sonora das apresentações de Rebeca, já que a mesma se apresentou ao som de 'Baile de Favela', um ritmo bem diferente do que ela utilizou nas Olimpíadas Rio 2016, quando usava uma música da Beyoncé. Ela optou pelo funk por acreditar que o gênero tem mais “sua cara”.

“Foi o meu coreógrafo que teve a ideia do Baile de Favela. Ele veio com essa música e a gente fez a coreografia juntos. Foi incrível. Foi surpresa, não foi ideia minha. E eu adorei. Eu estava saindo da Beyonce, que eu sou super fã. Hoje quando vocês me veem no solo com a música, ela é a minha cara, não tem como negar. Foi incrível e está sendo esse sucesso”, disse ela.

“É muito bom, o funk é um dos estilos mais escutados, e querendo ou não é a cultura brasileira, as batidas são demais, é orgulho para as pessoas que se enxergam no funk. Saber que deu certo, ta sendo incrível. É um orgulho, as pessoas se espelham em você, elas querem ser parecidas com você, eles fazem o melhor para você e para o outro”, continuou.

 

 

COMO FICOU O PÓDIO?

O pódio foi formado pela estado unidense Sunisa Lee com o ouro (57.433 pontos), a brasileira Rebeca Andrade com o prata (57.298 pontos) e a russa Angelina Melnikova com o bronze (57.199 pontos). 

A disputa é realizada nas barras assimétricas, o salto sobre a mesa, solo e a trave de equilíbrio. O ouro foi decido por detalhes na prova do solo da brasileira, que cometeu dois erros na aterrisagem e pisou fora da área marcada, comprometendo sua nota no final! Mas isso não tira a grandeza do prata, que é a primeira medalha olímpica na história da ginástica feminina do Brasil

Rebeca ainda tem mais duas finais para disputar, no salto (01/08) e no solo (02/08), podendo ganhar ainda mais prestígio na ginástica brasileira! Com essa medalha, o Brasil ocupa a 17º posição no ranking.

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!