Sportbuzz
Testeira
Lutas / MMA / SERÁ?

Após derrota no UFC 263, Dana White acredita em aposentadoria de Demian Maia: "Acho que essa foi a última luta dele"

Demian Maia perdeu para Belal Muhammad no UFC 263, e o chefão Dana White acredita no fim da carreira do brasileiro

Redação Publicado em 14/06/2021, às 12h12

Dana White acredita em aposentadoria de Demian Maia depois da derrota no UFC 263 - GettyImages
Dana White acredita em aposentadoria de Demian Maia depois da derrota no UFC 263 - GettyImages

Depois de enfrentar Belal Muhammad no UFC 263, em Phoenix, e ser derrotado, Demian Maia evitou em falar de aposentadoria em entrevista ao "Combate". No entanto, o chefão Dana White não deu muitas esperanças de manter o brasileiro em ação.

Na coletiva depois do card, Dana White até aumentou a idade do brasileiro em um ano, e ao elogiá-lo ressaltou que essa foi mesmo sua última luta do contrato.

"Acho que essa foi a última luta dele, foi a última luta do contrato. Ele tem 44 anos. Ele tem sido tão bom em garantir a queda, ficar por cima das pessoas e estrangulá-las, ou pegar algo e torcer até que você desista, e ele não conseguiu fazer isso esta noite. Ele tem 44 anos, é um cara fantástico, teve uma grande carreira. Sim, diria que provavelmente é isso (sua última luta)", disse.

Demian Maia fez no último sábado, 12, sua 33ª luta no UFC. Com dificuldades para desenvolver seu jogo de luta agarrada contra Belal Muhammad, e em uma luta pouco movimentada, o brasileiro perdeu por decisão unânime dos juízes (30-27, 29-28 e 29-28).

Demian esperava igualar o recorde de vitórias do UFC, que é de 23 e pertence a Donald Cerrone. Aos 43 anos, ele tem agora um cartel com 28 vitórias e 11 derrotas, e disputou cinturão duas vezes, uma no peso-médio (até 84kg) e outra no meio-médio (até 77kg).


Deiveson Figueiredo foi finalizado por Brandon Moreno e perdeu a disputa pelo cinturão peso-mosca no terceiro round do co-evento principal do UFC 263, realizado no último sábado, 12, em Phoenix, nos Estados Unidos.

Após a derrota, o brasileiro comentou que o corte de peso antes da luta não contribuiu para o duelo contra o mexicano. Deiveson revelou que não teve um processo saudável e que enfrentou dificuldade para bater o peso, prejudicando seu rendimento na briga pelo cinturão.

"Realmente foi o corte de peso. Eu não tive um corte de peso saudável, foi muito difícil bater o peso, mas eu consegui. Só que, mesmo assim, não tive o rendimento adequado que era para ter hoje dentro do octógono. Mas eu vou voltar para casa e vou treinar. Eu perdi a primeira vez, depois venci cinco lutas seguidas. Vocês podem ter certeza, vou treinar, vou vencer e vou levar essa felicidade de volta para o Brasil. Vocês escrevam o que eu estou falando", disse o paraense em entrevista ao "Combate".

Deiveson ainda revelou que não saiu do hotel com uma boa sensação a respeito da luta. Ele afirmou que sabia que "não era seu dia" e pediu uma revanche.

"Eu saí com uma sensação muito ruim do hotel. Eu sabia que não era o meu dia, mas eu entreguei nas mãos de Deus, e indo para o octógono eu disse: 'Senhor, seja feita a sua vontade'. Eu entrei ali, não lutei realmente como eu sou e eu quero muito, de imediato pedir, a revanche para Dana (White), e espero ser atendido, até porque a primeira luta eu venci e mesmo assim tiraram um ponto meu e decidiram empatar para dar a segunda luta. E agora eu quero a trilogia. Ele pegou meu cinturão, a primeira eu venci e vamos fazer essa terceira luta agora para tirar o tira-teima", disse o brasileiro, que também parabenizou Moreno:

"Ele está de parabéns, a noite foi dele. Ele com certeza treinou muito bem para essa luta e hoje não foi meu dia. Mas eu quero a trilogia, eu quero que essa luta aconteça. Agora eu quero só voltar pra casa e treinar de novo certinho, pra realmente mostrar quem eu sou, o verdadeiro dono do cinturão. Eu só quero quatro meses, é o tempo que eu vou me estabilizar. Minha academia está em mudança, tudo isso é um processo que meio que atrapalhou meu treino, mas agora quero voltar, deixar tudo certinho e poder conquistar o cinturão de novo", completou.

Na luta principal do UFC 263, o nigeriano Israel Adesanya venceu o italiano Marvin Vettori por decisão unânime dos juízes (50-45), chegou ao décimo triunfo seguido na categoria e manteve o cinturão peso-médio.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!