Sportbuzz
Testeira
Futebol / GINÁSTICA ARTÍSTICA

Simone Biles testemunha no Senado e aponta erros do FBI e da Federação de Ginástica: “Falharam conosco”

Medalhista olímpica, ginasta americana testemunhou sobre condução na investigação dos abusos sexuais cometidos por Larry Nassar

Redação Publicado em 16/09/2021, às 17h51

Simone Biles testemunha no Senado e aponta erros do FBI e da Federação de Ginástica: “Falharam conosco” - GettyImages
Simone Biles testemunha no Senado e aponta erros do FBI e da Federação de Ginástica: “Falharam conosco” - GettyImages

A ginasta Simone Biles testemunhou na última quarta-feira, 15, em um painel do Comitê Judiciário do Senado dos Estados Unidos. A medalhista olímpica deu seu depoimento sobre os erros do FBI na investigação dos abusos sexuais cometidos por Larry Nassar, ex-médico da Federação Americana de Ginástica (USA Gymnastics), a centenas de mulheres.

Simone apontou a agência norte-americana de investigação e a organização de ginástica como responsáveis pelos crimes de Nassar. De acordo com o “Washington Post”, a atleta de 24 anos chegou a tremer durante a fala.

“A USA Gymnastics e o Comitê Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) sabiam que fui abusada por seu médico oficial da equipe muito antes de eu saber do conhecimento deles. Sofremos e continuamos sofrendo, porque ninguém no FBI, USAG ou USOPC fez o que era necessário para nos proteger. Falharam conosco. Eu culpo Larry Nassar e também culpo todo um sistema que permitiu e perpetrou seu abuso. As organizações criadas pelo Congresso para supervisionar e me proteger como atleta... falharam em fazer seu trabalho”, declarou a medalhista olímpica.

Além de Simone, as campeãs olímpicas McKayla Maroney e Aly Raisman, e a campeã mundial Maggie Nichols testemunharam no painel nesta quarta-feira. Maggie foi a primeira ginasta a relatar os abusos de aos responsáveis da USA Gymnastics. Maroney alegou que seu depoimento foi falsificado pelo FBI, em 2015.

“Depois de contar toda a minha história de abuso ao FBI em 2015, não apenas o FBI não relatou meu abuso, mas quando finalmente documentou minha denúncia 17 meses depois, eles fizeram afirmações totalmente falsas sobre o que eu disse”, declarou a ginasta.

Durante os depoimentos, Chris Wray, diretor do FBI, pediu desculpas a todas as atletas abusadas por Nassar e assumiu erro por parte do órgão.

“Lamento especialmente que pessoas do FBI que tiveram oportunidade de parar esse monstro em 2015 e falharam, e isso é imperdoável. Nunca deveria ter acontecido, e estamos fazendo tudo ao nosso alcance para que isso nunca aconteça novamente”, declarou Wray.

A investigação contra Nassar começou em 2015 e teve uma série de erros, que permitiram que os abusos sexuais continuassem acontecendo por meses. A audiência desta quarta-feira aconteceu após Michael Horowitz, inspetor geral do Departamento de Justiça, concluir um relatório de 119 páginas alegando que o FBI de Indianápolis “não respondeu às alegações contra Nassar com a maior seriedade e urgência de que eles mereciam e exigiam”.

Larry Nassar foi condenado a até 360 anos de prisão, em fevereiro de 2018, por abuso sexual a 265 mulheres.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Simone Biles (@simonebiles)

 


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!