Sportbuzz
Testeira
Futebol / MOTIVOS!

Saiba cinco fatores que foram determinantes para demissão de Vagner Mancini no Corinthians

Vagner Mancini dirigiu o Corinthians em 45 jogos e teve 54% de aproveitamento

Redação Publicado em 17/05/2021, às 16h11 - Atualizado às 17h34

Vagner Mancini deixou o Corinthians no último domingo, 16 - GettyImages
Vagner Mancini deixou o Corinthians no último domingo, 16 - GettyImages

Vagner Mancini chegou ao Corinthians no dia 12 de outubro de 2020 com a missão de formar um elenco capaz de fugir da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. O treinador conseguiu alcançar esse objetivo e, em alguns momentos, fez com que o torcedor acreditasse na possibilidade de disputar uma Libertadores da América em 2021. 

 

Por mais que não tenha conseguido ficar entre as oito melhores equipes da última edição do Brasileirão, o treinador cumpriu com o objetivo principal de fugir da zona da degola. Prestigiado pela diretoria e também pelo elenco, Vagner Mancini seguiu no Corinthians para a temporada  de 2021, porém não conseguiu atender às expectativas. 

Ciente de que o Timão vivia um momento conturbado internamente e externamente, o comandante alvinegro não contou com reforços e utilizou da base sua principal fonte para ter novidades no time titular. De fato, Mancini mostrou que garotos como João Victor e Raul Gustavo podem ser boas opções, mas acabou sendo pouco. 

Com um início de temporada irregular, além de contar com duas eliminações em sua conta, Vagner Mancini não aguentou a pressão e acabou sendo demitido no último domingo, 16, após derrota para o Palmeiras. Desta maneira, o SportBuzz separou cinco motivos que fizeram o treinador ser dispensado pela diretoria. 

1. PRESSÃO DA TORCIDA!

Por mais que os dirigentes alvinegros garantam que a pressão da torcida não interfere na presença de um treinador num clube de futebol, essa garantia muitas vezes vai por água abaixo. Com Vagner Mancini não foi diferente, irritados com a decisões do técnico durante as partidas, principalmente com escalações de atletas e esquemas de jogo, o profissional virou alvo da fiel. 

A gota d'água foi a derrota para o Palmeiras, na Neo Química Arena, por 2 a 0 e com um time apático em campo. Logo depois do clássico, antes mesmo de sua demissão ser anunciada, membros de uma das torcidas organizadas do Corinthians já pediam por sua saída na frente do estádio alvinegro. 

2. DECISÕES NA ESCALAÇÃO E SUBSTITUIÇÃO!

Uma das grande críticas, tanto dos torcedores, como também de especialistas, era a maneira como o Corinthians jogava. Seja num 4-3-3 com falso 9, num 4-2-3-1 ou também num 3-5-2, havia momentos em que o time demonstrava certa apatia, falta de repertório e dificuldade nas transições defensivas e ofensivas. 

Além disso, quando a escalação não funcionava, parte dos críticos do treinador apontavam para uma demora no momento de alterar o esquema tático, além de demorar no momento de fazer substituições, que nem sempre correspondiam com as expectativas. 

3. GOLEADAS!

Vagner Mancini ficou cerca de sete meses comandando o Corinthians e acumulou alguns resultados catastróficos no clube, principalmente quando o assunto era goleada. Desde que havia chegado ao Timão, o treinador comandou a equipe na maior goleada sofrida pelos alvinegros na história da Arena, quando perdeu de 5 a 1 para o Flamengo. 

Além disso, na última semana, pela Copa Sul-Americana, jogando pela classificação do Corinthians na competição, Mancini viu seu elenco sofrer uma goleada de 4 a 0 para o Peñarol. Além de não perder no Uruguai há quase 50 anos, o treinador acabou vendo essa invencibilidade cair e junto dela também se tornou a maior goleada sofrida pelo Timão em competições internacionais.

4. ELIMINAÇÕES!

Apesar da diretoria do Corinthians e dos torcedores estarem cientes da situação financeira e da pouca possibilidade de reforçar o time, ambas as partes esperavam um desempenho digno em competições eliminatórias como na Sul-Americana, Paulistão e Copa Brasil. 

Dessas três, o Timão de Vagner Mancini já foi eliminado de duas. No Campeonato Paulista deixou a competição para o Palmeiras e apresentado um futebol bem abaixo que o seu rival, enquanto na Sul-Americana, caiu na fase de grupos e ainda faltando dois confrontos para encerrar o torneio. O técnico manteve apenas o time na Copa do Brasil. 

5.  DESGASTE!

Vagner Mancini possuía ótima relação com funcionários, jogadores e diretoria. Mesmo assim, os resultados de seu trabalho não agradavam alguns dirigentes do clube, que pressionavam a alta cúpula do futebol corintiano para uma troca imediata no cargo. 

Duílio Monteiro Alves até tentou bancar o treinador, mas a eliminação na Sul-Americana para o Peñarol e a derrota para o Palmeiras no Paulistão se juntaram com a insatisfação do modo de jogar alvinegro e os recentes resultados. Dessa maneira, não teve como segurar Mancini, que acumulou um aproveitamento de 54%, com 20 vitórias em 45 partidas.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!