Sportbuzz
Testeira
Futebol / EITA!

Peter Schmeichel revela que Uefa ameaçou jogadores caso partida da Eurocopa não fosse retomada; entenda!

Schmeichel contou que a Uefa ameaçou declarar W.O caso os atletas não retornassem para o jogo da Eurocopa depois do mal súbito de Eriksen

Redação Publicado em 14/06/2021, às 10h31

Schmeichel revela que Uefa ameaçou jogadores caso não voltassem para a partida da Eurocopa - GettyImages
Schmeichel revela que Uefa ameaçou jogadores caso não voltassem para a partida da Eurocopa - GettyImages

Neste sábado, 12, a partida entre Dinamarca e Finlândia, pela Eurocopa, foi marcada pelo mal súbito que o meia Eriksen sofreu. Depois de se certificar que o jogador estava bem, a Uefa decidiu pela retomada do jogo, mas de acordo com Peter Schmeichel, a conversa teve um tom bem diferente.

A informação inicial indicava que a partida só seria retomada após pedidos dos próprios jogadores, mas pelo que afirmou o pai do goleiro Schmeichel, a história não foi exatamente essa.

Em entrevista ao "Good Morning Britain", da "ITV", Peter Schmeichel disse que os profissionais não queriam voltar para o gramado, mas que receberam uma forte ameaça da Uefa.

"Vi uma citação oficial da Uefa dizendo que eles estavam seguindo o conselho dos jogadores, que insistiram em jogar. Eu sei que não é verdade. Ou é uma verdade interpretada. Eles ficaram com três opções. Uma era jogar imediatamente os últimos 50 minutos. A outra era entrar em campo ontem (domingo) ao meio-dia. E a terceira era perder o jogo por 3 a 0 (WO).
Então, pense você mesmo. Era desejo dos jogadores? Eles realmente tinham escolha? Eu não acho que eles tinham", disse.

Schmeichel ainda lembrou a fala do treinador da Dinamarca logo após a partida.

"Ele lamentou muito ter colocado os jogadores de volta em campo", completou. O duelo acabou com vitória da Finlândia por 1 a 0.

Eriksen se recupera bem

 

Depois do susto na partida da Eurocopa entre Dinamarca e Finlândia, e da angústia de aguardar por informações de Eriksen, o jogador se manifestou sobre o acontecido, mesmo que tenha sido de forma indireta.

Em declarações reproduzidas pelo jornal "Gazzetta dello Sport", o meia dinamarquês tranquilizou a todos e disse que está bem, mas que quer entender o que aconteceu naquele momento dentro de campo.

O veículo italiano teve acesso a uma mensagem que o jogador enviou ao seu empresário, Martin Schoots.

"Obrigado, não vou desistir. Estou melhor agora, mas quero entender o que aconteceu. Quero agradecer a todos pelo que fizeram por mim", disse Eriksen.

O jogador segue internado no Rigshospitalet, hospital de Copenhague, em estado estável e boas condições de saúde, segundo comunicado da Federação de Futebol do país.

Neste domingo, 13, o médico da Seleção da Dinamarca, Morten Boesen, confirmou que Eriksen sofreu uma parada cardíaca no gramado, e que por conta disso, precisou de uma manobra de ressuscitação.

Além disso, dirigentes da Inter de Milão declararam que o jogador enviou mensagens ao grupo de WhatsApp da equipe e tranquilizou seus companheiros. O clube ainda reforçou que Eriksen não teve coronavírus e não recebeu a vacina contra a doença.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!