Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Futebol » COMPLICADO

Pela primeira vez, Cafu abre o coração sobre a morte do filho e desabafa: "Sentimento de vazio"

Ex-jogador publicou uma carta expondo o sentimento vivido depois da morte de Danilo

Izabella Macedo Publicado em 07/06/2020, às 15h32

Pela primeira vez, Cafu abre o coração sobre a morte do filho
Pela primeira vez, Cafu abre o coração sobre a morte do filho - GettyImages

Neste domingo, 7, o ex-jogador da Seleção Brasileira, Cafu, completa 50 anos de idade.

No entanto, ao invés de comemorar seu aniversário como tradicionalmente era feito, o capitão do penta preferiu utilizar o momento para fazer uma reflexão.

Por conta da pandemia de coronavírus, a humanidade está passando por uma situação muito complicada e o antigo lateral-direito do Brasil considerou falar abertamente sobre a tristeza após a morte de seu filho.

Danilo Feliciano de Moraes, filho mais velho de Cafu, morreu no dia 4 de setembro de 2019, aos 30 anos, depois de sofrer um infarto enquanto jogava bola na casa da família em Barueri, região metropolitana de São Paulo.

"É um aniversário especial, mas a celebração vai ser muito diferente neste ano. Por causa da pandemia, vou ter que ficar longe das pessoas queridas. E depois de um ano que eu não poderia imaginar nem no meu pior pesadelo, acho que é uma boa hora para falar sobre o sentimento de perda para as milhões de pessoas que estão sentindo isso no mundo ", disse Cafu, em uma carta publicada pelo comitê organizador da Copa do Catar de 2022. 

"Deus o levou e tenho certeza que ele está bem onde estiver. Ele está cuidando de nós e rindo lá de cima, de tudo o que estamos fazendo aqui embaixo. Eu rezo para que outros pais não precisem passar por essa experiência. Um pai nunca deveria ter que enterrar o próprio filho", completou.
No dia 1 de novembro daquele ano, em entrevista à revista Veja, Cafu confessou que chorava todos os dias pela morte do filho.

"Algumas coisas no mundo são inexplicáveis. Não tem razão. Eu perdi o meu filho nos meus braços. Eu tentei salvá-lo e ajudá-lo, mas ele nos deixou. Isso foi - e ainda é - um sentimento de vazio. Um sentimento terrível. Às vezes a gente se sente desamparado. A gente pode se sentir forte no corpo e na mente, mas em momentos como esse a força física não significa nada. Não ajuda. Quando você não pode salvar seu filho, você se sente incrivelmente fraco", desabafou.

"Todos nós temos dias inesquecíveis na vida. Casamento, nascimento de um filho, ou vencer a Copa do Mundo pelo seu país. Memórias gloriosas que ficam para sempre. Mas há também dias que nunca vamos esquecer por outros motivos. Dias que não podemos explicar e momentos de tragédia que não se pode evitar"
Na carta publicada neste domingo, Cafu agradece o apoio recebido por "milhares de pessoas" durante esse momento. O ex-jogador ainda ressalta que sua vontade é fazer o mesmo pelas famílias que perderam seus entes queridos para o coronavírus.

"Tenho certeza que, com esse isolamento social, as pessoas estão passando mais e mais tempo com as pessoas que amam, mais do que nunca. E aqueles que estão isolados, devem estar pensando no que estão perdendo com as suas famílias. Isso me leva a pensar na força que a minha família teve após a morte do Danilo. Minha família é grande, tenho cinco irmãos. Mas só neste momento é que tirei força deles. Neste momento de crise, a família é o pilar de tudo", afirmou.

 

 

 

 

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!