Sportbuzz
Testeira
Futebol / BRASILEIRÃO!

Guto Ferreira esclarece demora do Bahia para voltar do intervalo, diz que foi protesto e desabafa: "Até quando?"

Guto Ferreira ficou indignado com a marcação de pênalti para o Flamengo, na partida contra o Bahia no Maracanã, e na volta ao segundo tempo, os jogadores demoraram mais do que o normal

Redação Publicado em 12/11/2021, às 07h14

Guto Ferreira, treinador do Bahia na partida contra o Flamengo no Maracanã - GettyImages
Guto Ferreira, treinador do Bahia na partida contra o Flamengo no Maracanã - GettyImages

Claro que o Bahia não saiu nada satisfeito do Maracanã na noite desta quinta-feira, 11, onde perdeu para o Flamengo por 3 a 0. Desde o momento em que a marcação polêmica do pênalti foi feita, o técnico Guto Ferreira já se mostrava totalmente indignado, visto que em pelo menos dois jogos anteriores, o time já havia sido prejudicado pela atuação da arbitragem.

Em entrevista coletiva depois do apito final, o treinador aproveitou para demonstrar toda a sua insatisfação. Acontece que quando a partida estava empatada em 0 a 0, o árbitro Vinícius Gonçalves viu um toque de mão de Conti dentro da área e marcou o pênalti. Ainda que tenha sido chamado pelo VAR, ele manteve sua decisão inicial.

Porém, além desse lance, Guto Ferreira também reclama de outros dois lances, em jogos anteriores do Bahia, contra Juventude e São Paulo, em que também houve a intervenção do VAR, mas o clube baiao foi prejudicado em lances reconhecidos pela Ouvidoria de Arbitragem da CBF.

"Cara, a gente quer sempre pensar o melhor dos profissionais que estão trabalhando ali. A gente sempre defendeu a entrada do vídeo, no caso, para moralizar o futebol. Para melhorar a qualidade, da alta competitividade que existe. Mas aqui estão desvirtuando tudo. Porque você errar com a bola andando é uma situação. Mas você errar com vídeo, interpretar como você quer... Pô, está ali! Está ali para você ver, e você insiste em dizer que não. E o problema contra o Bahia é que não foi uma vez. Nos três últimos jogos isso. Nos três últimos jogos, o Var chamou dizendo que não foi ou que foi. E eles foram contra o VAR. E, depois, a direção do Bahia busca junto à comissão de arbitragem, e vêm com desculpinha esfarrapada, que não resolve nada. Os pontos já foram. Até quando? Nós temos família para criar, velho! Quem se ferra depois são os profissionais envolvidos. Quem, depois, não consegue ter um trabalho desenvolvido somos nós da comissão, são os jogadores. Até quando isso? E, muitas vezes, o cara erra e é promovido a apitar grandes jogos de Série A, Série B. E eles não têm que dar satisfação, ir para o microfone. São protegidos. Vai lá dizer o que é. No mundo inteiro, nos outros esportes, o cara tem que olhar o vídeo e dizer o que está interpretando. No futebol, não. Nós precisamos de lisura, gente", iniciou Guto.

"Esse tipo de jogo é um jogo, acima de tudo, psicológico. Onde é decidido em detalhes. O problema não foi “só” o VAR. O problema foi a situação de pênalti e, depois, da expulsão. Sabe a situação como é? Quando a gente começa bem o segundo tempo, nós temos uma expulsão", completou.

Por conta disso, no intervalo do jogo os atletas do Bahia demoraram para voltar ao gramado, e o próprio clube informou que alguns deles não queriam mais continuar a partida. De acordo com o treinador, o atraso foi uma forma de protestar contra a situação.

"Indignação total. A gente precisava fazer alguma coisa. O atraso foi uma forma de protesto. Manter o equilíbrio, porque o jogo seguia. E a gente tinha condições, mesmo com um homem a menos, de buscar alguma coisa. E foi o que fizemos. A gente começa muito bem o segundo tempo, mesmo com um homem a menos. Aí, na minha concepção, o Bahia não fez falta para cartão, para o segundo cartão. Uma falta no meio-campo, onde não houve agressão, houve uma intervenção lateral. E o cara tropeçou. Falta normal de jogo, em disputa de bola. Aí perdemos um jogador. Se não bastasse a situação do pênalti, perdemos um jogador. Para terminar, a expulsão do Rossi já é outra situação", contou o comandante.

Na próxima quinta-feira, 18, o Bahia encara um confronto direto com o Sport, em partida que será disputada na Arena Pernambuco. Ainda que os ânimos estejam exaltados, o treinador Tricolor afirmou que o elenco não vai perder o foco.

"Nós temos uma semana. E nós não vamos sair do foco de jeito nenhum. O que essa partida nos trouxe foi uma indignação bastante grande. Pode ter certeza de que essa indignação vai ser revertida em atitude. É uma partida dificílima. O Sport vem vindo bem. Vem fazendo grandes jogos na sua casa. Nós temos que jogar o nosso melhor e buscar um grande resultado lá", finalizou.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!