Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Futebol / DENÚNCIA

Ex-jogador, com passagens por Santos e Flamengo, é acusado de estupro

Whelliton Silva, vereador e ex-atacante que acumula passagens por Santos e Flamengo, foi acusado de estupro; “Não tem nenhuma prova”, afirmou

Redação Publicado em 16/09/2022, às 15h57

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Whelliton, em sua passagem pelo Santos - Reprodução / Instagram
Whelliton, em sua passagem pelo Santos - Reprodução / Instagram

Ex-jogador de Santos e Flamengo, o vereador Whelliton Silva foi acusado de estupro. A denúncia partiu de uma moradora da cidade de Santos, somado a acusações de “rachadinha” e abuso de autoridade. O ex-atacante de 50 anos atuou profissionalmente entre 1993 e 2006, iniciando sua carreira no Peixão, aos 19 anos.

A denunciante alegou que houve “um grave abalo psicológico, resultando em pensamentos suicidas e internação de urgência”, junto da afirmação de possuir transtorno de Borderline, culpado por comportamento impulsivo e alterações de humor. A vítima realizou a denúncia na Câmara de Praia Grande.

Na denúncia, consta que a vítima fazia uso de medicamentos, o que proibia a ingestão de bebidas alcoólicas. Segundo ela, o ex-jogador teria a oferecido bebidas da mesma forma e a levado a seu apartamento, local do suposto crime. Quanto à acusação de abuso de poder, a vítima alegou que foram enviados agentes da Guarda Civil Municipal (GCP) para persegui-la. 

Na denúncia da “rachadinha”, configura-se que Whelliton teria oferecido um emprego como assessora parlamentar, com salário de R$2,4 mil. Porém, na Câmara de Praia Grande, o cargo tem salário superior a R$12 mil. A solução dele seria a devolução da diferença por meio de saques bancários ou pagamentos de boleto.

Ao se defender, Whelliton desabafou que “infelizmente, é obrigado a essa altura da própria vida a passar por essa situação”, afirmando que a acusação não passa de “armação política orquestrada por pessoas inescrupulosas que se aliaram à essa irresponsável”. O ex-atacante definiu a denúncia como “descabida”, tendo ocorrido 72 dias após o suposto estupro, além de enfatizar que a vítima não assumiu o cargo na Câmara “por incompetência”.

Quanto à 'rachadinha', é um outro absurdo. Como pode haver este ilícito, se nem mesmo houve nomeação. As acusações de abuso de poder, que segundo ela eu utilizei meu cargo para acionar a Guarda Municipal, são até um insulto à nossa valorosa GCM”, disse Whelliton, complementando que a denúncia é “armação” e ocorreu por “pura vingança”.

Quanto à abertura de comissão de ética para apurar um fato que não tem nenhuma prova, digo nenhuma prova, estou muito tranquilo”, complementou. O estado da denúncia deve ser concluído em até 90 dias. Caso não haja julgamento no período, o caso será arquivado após o prazo.

Whelliton iniciou sua carreira como jogador em 1993, no Santos. Estava na equipe em 1995, quando foi vice-campeão brasileiro. Após a saída do Peixão, o jogador acumulou passagens por diversos times do Brasil, chegando até mesmo a estrear em Portugal. Em 2004, jogou pelo Flamengo. Porém, na passagem pelo rubro-negro, somou apenas 19 aparições e três gols.