Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Testeira
Futebol » EXCLUSIVO SPORTBUZZ

Eduardo Baptista fala sobre sucesso no Mirassol e exalta estrutura do clube: "Compete com muitos da Série A"

O treinador chegou em meio à pandemia e, com um elenco totalmente novo, conseguiu subir a equipe do interior de São Paulo

Marcello Sapio Publicado em 14/01/2021, às 17h07

Eduardo Baptista falou com exclusividade para o SportBuzz
Eduardo Baptista falou com exclusividade para o SportBuzz - César Greco / Palmeiras

Uma das equipes que vem se destacando em meio dos campeonatos nacionais é o Mirassol!

O time do interior de São Paulo, que tem grandes feitos recentes, como por exemplo, chegar à semifinal do Paulistão, nesta temporada, eliminando ninguém menos que o São Paulo.

Na Série D, o time passou com louvores e, já com o acesso para a 3ª divisão garantida, é colocado como um dos favoritos. Muito disso passa pela mão do treinador Eduardo Baptista.

Com passagens recentes em clubes grandes e tradicionais, como Palmeiras, Fluminense, Sport, Ponte Preta e CSA, ele aceitou, no meio da pandemia, dirigir o Mirassol e vem fazendo um grande trabalho.

Ele conversou, com exclusividade ao SportBuzz, sobre a carreira, as escolhas e a projeção, tanto dele quanto do Mirassol, para 2021.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Mirassol Futebol Clube (@mirassolfc)

 

Eduardo revelou como encontrou o time do Mirassol: "Eu cheguei para assumir no lugar do (Ricardo) Catalá, que tinha feito um grande trabalho no Paulista, mas daquele elenco sobraram só três jogadores, o que nos fez voltar os olhares para a base, sair no mercado... Foi feito um novo projeto, um novo planejamento praticamente do zero".

Mesmo com tantos desafios, ele contou que a expectativa, desde o começo, era o acesso à terceira divisão: "A minha projeção era, sim o acesso, e montar um time forte para o Paulistão. A gente atingiu o primeiro objetivo. A Série D é um dos campeonatos mais difíceis, porque é uma série de mata-matas e você tem que estar bem em todos. Diferente de uma Série B ou C, que é pontos corridos, que é de performance. Na 'D' você precisa estar bem naquele dia, fazer o jogo naquele dia e resolver".

"E nós temos o elenco mais jovem, em média, da 'D' nos últimos cinco anos. A média de idade dos times que sobem é entre 28, 29 anos. A nossa é de 24. Tínhamos essa preocupação em relação aos mata-matas, como iam reagir e pegamos equipes experientes, como Caxias, Brasiliense e Aparecidense. Graças a Deus conseguimos atingir uma maturidade e conquistamos o objetivo. Amadurecemos muito os meninos e criamos neles algo que não tinham: Experiência", completou.

A CHEGADA

Eduardo Baptista vinha de trabalhos em times da Série B e A. Por isso, a notícia da ida dele para o Mirassol surpeendeu boa parte da imprensa.

Sair de uma segunda divisão para um time que, apesar de tradicional, da 4ª, é um movimento que muitos não fariam.

Ele, então, comentou o porquê do "sim" ao Mirassol: "A minha decisão foi tomada em um momento de reflexão da carreira. Vi que os meus melhores trabalhos foram onde eu participei de um planejamento, que eu iniciei, junto com um clube, um desenho da temporada, participando da montagem de elenco... Eu saí de um CSA, que foi o primeiro elenco a ter surto de Covid, e por isso, os resultados deixaram de vir em um primeiro momento. Perdi mais de 20 jogadores, mas o imediatismo do futebol preza pela resultado e eu fugi disso. Nisso veio o Mirassol, que tem uma estrutura que compete com muitos (times) que estão na Série A. Uma estrutura física, um CT fantástico e uma filosofia que dá tempo ao trabalho, muito diferente do que se vê por aí. Os resultados não aocntecem sem querer, não é um acaso que o Mirassol eliminou um São Paulo, que subiu para a Série C. As coisas tem um porquê. Basta conhecer a estrutura que tem o Mirassol e as pessoas vão entender o porquê eu aceitei".

Ainda o treinador comprou a ascenção recente de equipes e a projetou na equipe do interior paulista: "Aqui eu vejo um cenário muito parecido com o que aconteceu com a Chapecoense, no seu início, no qual saiu de uma Série D para a Série A, ou o próprio CSA ou até o Brusque, que subiu para a B agora. Eu enxerguei isso e iniciei um projeto. Não é um prjeto de um ano, não vou sair daqui depois disso. É um projeto muito grande e ainda temos o Paulista depois e, na sequência, a disputa da Série C. Quem sabe, dentro de um mesmo ano, sair da D e parar na B. É um projeto e trabalhamos para que aconteça".

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Mirassol Futebol Clube (@mirassolfc)

 

PROJETO  2021

Com a grande expectativa que se formou ao entorno do Mirassol para as próximas competições, o clube aposta em um projeto sólido para os próximos anos, principalmente usando toda a estrutura de seu centro de treinamento.

Eduardo Baptista exaltou os feitos atingidos nessa temporada de 2020/21, e falou quais são os próximos passos a serem tomados nesse ano que se inicia.

"A gente conseguiu um marco importante, que é subir para a 'C', já disse o quanto é difícil isso, a questão dos mata-matas, que é muito momento, que você tem que estar bem para passar e a gente estava. Agora é focar no Paulistão, fazer um campeonato forte, chegar bem e defender a condição do Mirassol. Já no Brasileirão o nosso foco é o acesso para a 'B' e, aí sim, seriam dois anos históricos, com o time chegando, finalmente, no hall das grandes equipes do futebol brasileiro", relatou o comandante.

Ele ainda revelou o que se pode esperar,tanto do Eduardo Baptista, como do Mirassol: "Pode se esperar trabalho. É um time que vai jogar, vai priorizar as categorias de base, a juventude, um jogo ofensivo... O resultado nós vamos correr atrás. Não se pode prometer resultados, é muito difícil, mas temos o plano de fazer um Paulista competitivo e o plano de subir para a Série B. Nós vamos buscar isso dentro da nossa filosofia".

PALMEIRAS 2017

Um dos principais desafios de Eduardo na carreira foi comandar o Palmeiras em 2017. O alviverde vinha de um título brasileiro, além de uma "sombra" do Cuca, que foi considerado um dos grandes personagens daquela conquista.

Quase 4 anos de sua chegada, ele olha e faz um balanço do que aconteceu em sua passagem pelo time do Parque Antártica: "Eu saí do Palmeiras com 66% de aproveitamento e um trabalho difícil. É complicado pegar um trabalho depois de um sucesso, como por exemplo o que está contecendo com o Flamengo agora. Ano passado ganharam tudo e hoje, quem for assumir vai ter uma pressão enorme... E lá (no Palmeiras) eu tive a melhor campanha geral na Libertadores, classificamos para as oitavas com antecedência, o que não acontecia há anos, mas infelizmente eu perdi para a Ponte Preta na semifinal do Paulista. Foi logo depois de um jogo de Libertadores, com pouco tempo para recuperar e acabamos eliminados. Foi isso que não deu certo".

"Lá no Palmeiras, a gente sabe bem, você tem que ganhar tudo e nem sempre é possível ganhar tudo. Haja vista que, depois de mim, vários treinadores de renome passaram por lá e ainda assim continuou com muitas trocas de nomes. Saí muito feliz com o que eu produzi lá: 66% de aproveitmento, classificação da Libertadores... Mas infelizmente não conseguimos ganhar tudo, como tem que acontecer lá, mas fico contente com o trabalho que realizei por lá", compeltou o treinador.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Eduardo Baptista (@oficialeduardobaptista)

 

FILHO DE PEIXE...

Eduardo Baptista, apesar de muitos não saberem, é filho de Nelson Baptista, famoso treinador, que atualmente está no Japão.

O filho contou como foi ter a inspiração do pai e revelou que há um sistema de troca de experiências entre eles, mesmo do outro lado do mundo.

"Eu trabalhei com meu pai durante 10 anos, mas hoje temos contato diário, conversando dos mais variados assuntos, seja os profissionais ou os pessoais. Foi um cara que me ajudou e, dentro da minah carreira, foi o meu espelho, quem me orientou. Foi ele quem me tirou da preparação física e me colocou na área técnica, fazendo toda tradição e era quem me falava que eu tinha condições de seguir a carreira como treinador... Ele assiste meus jogos aqui do Brasil e eu assisto os dele lá no Japão, conversamos muito sobre o futebol, treinamentos, maneiras de jogar", disse Eduardo.

O filho também relatou que dá uma ajuda ao pai como uma espécie de "olheiro" no Brasil: "Eu também ajudo ele principalmente com nomes de jogadores para que ele possa levar lá para o Japão. É sempre uma troca muito grande. Você ter um mestre que pode ligar a qualquer horário para pedir uma opinião, uma palavra de conforto, de sabedoria... Sou abençoado por isso".

PRÓXIMOS JOGOS DO MIRASSOL

Já garantido na Série C, o Mirassol tem como próximo desafio o Altos, do Piauí, pela semifinal da D, neste domingo, 17. É o primeiro jogo do confronto.

A volta ocorre no dia 24, semana que vem, na casa do Altos.

 


 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!