Sportbuzz
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram Sportbuzz
Testeira
Futebol » MÊS DAS MULHERES!

Confira quem são as árbitras mulheres que fizeram história apitando em decisões de grandes campeonatos!

Profissionais quebram barreiras diariamente ao comandar partidas importantes ao redor do mundo

Izabella Macedo Publicado em 03/03/2021, às 13h00

Árbitras Edina Alves Batista e Stéphanie Frappart
Árbitras Edina Alves Batista e Stéphanie Frappart - GettyImages

O mundo do futebol segue sendo comandado por homens em um ambiente amplamente masculino. Porém, aos poucos, as mulheres estão se impondo e colocando suas visões nesse meio ainda considerado muito machista.

Seja através das competições femininas que estão ganhando espaço em transmissões de grandes emissoras e também nas redes sociais, ou seja pelas comandantes dentro de campo, que fazem história diariamente com o apito.

Em comemoração e homenagem ao Dia das Mulheres, o SportBuzz mostra para você algumas das árbitras mulheres que fizeram história no esporte apitando em decisões dos grandes campeonatos ao redor do mundo. Confira:

O trio que fez história

Já no início de fevereiro deste ano, em uma partida do futebol masculino, um trio 100% feminino apitou um jogo oficial da FIFA, do Mundial de Clubes. 

A árbitra brasileira Edina Alves Batista e a auxiliar Neuza Back, ao lado da auxiliar argentina Mariana de Almeida foram as protagonistas do jogo entre Ulsan Hyundai e Al Duhail pela decisão do quinto lugar do Mundial de Clubes.  

Além delas, outras árbitras já haviam comandado partidas de competições da FIFA, mas apenas nas categorias de base.

As Copas do Mundo Sub-17 de 2017 e 2019 tiveram mulheres em seus quadros de arbitragem, mas esta foi a primeira vez que uma árbitra comandou um jogo de futebol masculino profissional da entidade.

Edina Alves Batista

Edina já está acostumada a fazer história nesse meio.

Desde que deixou a carreira como auxiliar para seguir o sonho de se tornar árbitra central, ela conquistou seu espaço à base de muito suor e trabalho. Em 2019, recebeu da Comissão de Arbitragem da CBF a oportunidade de apitar um jogo do Brasileirão, quebrando um tabu de cerca de 15 anos.  

Além do Mundial deste ano, Edina e Neuza Back foram selecionadas para compor um dos trios de arbitragem da Copa do Mundo Feminina, na França, em 2019, com Tatiane Saciliotti completando a equipe.

O ponto alto da Copa para o trio brasileiro foi comandar a semifinal do torneio, entre Inglaterra e Estados Unidos, duas das maiores potências do futebol feminino mundial.

No comando do clássico entre Corinthians e Palmeiras, Edina Alves Batista será a primeira mulher a apitar uma partida do Dérbi paulista.

Asaléa de Campos Fornero Medina

Não se pode falar da arbitragem feminina sem citar Asaléa de Campos Fornero Medina, conhecida historicamente como "Léa Campos".

Ela foi apenas a primeira mulher reconhecida pela FIFA, no mundo, como árbitra de futebol e fez parte do quadro da FIFA entre os anos de 1971 e 1974.

Quando terminou o curso de arbitragem em 1967, Léa queria receber o diploma como todos os outros alunos, mas não foi isso que aconteceu.

Quatro anos depois da conclusão, Léa recebeu um convite da Fifa para arbitrar um amistoso e também o primeiro Campeonato Mundial de futebol feminino, no México, mas para isso precisava do diploma.

Para conseguir o diploma, Léa levou um bilhete, do Presidente do Brasil, Médici, ao Havelange. Na passagem do então presidente por Belo Horizonte, cidade onde ela morava, Léa solicitou uma audiência rápida, de apenas 30 segundos e nela, ganhou um almoço com Médici que decidiria seu futuro.

Por lá, Médici escreveu um bilhete de próprio punho afirmando que ela representaria o Brasil no México como árbitra.

Stéphanie Frappart

A francesa Stéphanie Frappart fez história quando apitou uma partida da Ligue 1. No dia 14 de agosto, em Istambul, na Final da Supercopa da UEFA, ela fez história novamente.

Com isso, uma mulher apitou pela primeira vez uma decisão da competição europeia. Antes dela, a suíça Nicole Petignat apitou três jogos da fase de qualificação da Taça UEFA, entre 2004 e 2009. 

Na final da UEFA, Frappart liderou a equipe de arbitragem composta por Manuela Nicolosi, da França, e Michelle O’Neill, da Irlanda, que foram suas assistentes.

Bibiana Steinhaus

A alemã Bibiana Steinhaus entrou para a história ao ser a primeira árbitra a apitar um jogo na Europa, na Bundesliga, durante a temporada 2017-2018. 

Steinhaus conseguiu apitar um importante jogo do futebol alemão, depois de reunir experiências de anos na segunda divisão, além de uma final de Copa do Mundo em 2011, uma final olímpica em 2012 e uma final de Champions League em 2017, todas essas no futebol feminino.

Silvia Regina e Ana Paula Oliveira

Uma das conquistas importantes para os brasileiros foi quando Silvia Regina assumiu o apito em jogos do Brasileirão masculino no início da década de 2000.

Outra foi quando Ana Paula Oliveira ficou famosa por ser uma das primeiras auxiliares a atuar na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Ana Paula começou a carreira em 1998, e, já em 2001, participou do seu primeiro jogo na Série A-1 do Campeonato Paulista.

As mulheres quebram barreiras diárias para serem aceitas e respeitadas no meio do futebol. Mesmo com casos de intolerância e preconceito, elas continuam firmes seguindo seus sonhos e inspirando diversas outras que querem seguir o mesmo caminho.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!