Sportbuzz
Testeira
Futebol / VISH!

Adriano Imperador faz revelação bombástica sobre passagem pelo Corinthians

Adriano Imperador jogou pelo clube entre 2011 e 2012 e contou que Departamento Médico do Corinthians falhou com ele

Redação Publicado em 27/05/2021, às 16h50 - Atualizado às 17h44

Adriano Imperador revelou erro do Departamento Médico do Corinthians em lesão - GettyImages
Adriano Imperador revelou erro do Departamento Médico do Corinthians em lesão - GettyImages

Adriano Imperador teve uma breve passagem pelo Corinthians entre os anos de 2011 e 2012. Com a camisa do Timão, o ex-atacante fez apenas sete jogos e marcou dois gols, sendo um deles decisivos para a conquista do pentacampeonato brasileiro do clube. 

 

Durante sua curta estadia pelo Corinthians, Adriano Imperador teve de passar por duas cirurgias graves no tendão. Em entrevista para a "ESPN Brasil", o ex-jogador fez uma revelação bombástica e, sem guardar mágoas, contou que o Departamento Médico do Timão errou em seu tratamento. 

"Operei meu tendão duas vezes. No começo, eu também errei porque faltei à fisioterapia, não estava com a cabeça boa, mas me operaram mal. Não vou falar nomes, não estou reclamado. Agradeço sempre ao Corinthians, por tudo que fizeram por mim", afirmou. 

Mesmo assim, Adriano Imperador seguiu explicando sobre a situação: "Eu errei, por ter faltado na fisioterapia, mas eu acho que teve alguma coisinha errada também. Mas eu não fico guardando mágoa, não sou disso, eu só agradeço. Adoro todo mundo no Corinthians, eles sabem disso".

O DESABAFO DE ADRIANO IMPERADOR!

O ex-jogador Adriano Imperador concedeu entrevista, em uma espécie de carta aberta ao site "The Player's Tribune", onde convida o leitor a repassar a história de sua carreira.
 
"Você quer saber a verdade? Direto de mim? Sem caô? Então puxe uma cadeira, cara. Porque o Adriano tem uma história pra você", inicia.
 
No depoimento, Adriano Imperador revela que quase foi dispensado do Flamengo, quando ainda jogava como lateral, e deu detalhes sobre sua primeira convocação à Seleção Brasileira
 
Na época em que isso tudo aconteceu, o ex-atacante tinha 18 anos, e estreou com a amarelinha em um jogo contra a Colômbia, válido pelas Eliminatórias da Copa de 2002.
 
"Tudo aconteceu muito rápido. Eu ainda morava com meus pais na época. E, na verdade, eu estava tirando uma soneca quando eles anunciaram a Seleção na TV. Minha mãe entrou na sala gritando: 'Meu filho!', e eu lá roncando para caramba. (...) Saí da cama e vi meu nome na TV", contou.
 
Adriano também relembrou do período em que defendeu a camisa da Inter de Milão, e como foi que surgiu o apelido que já virou praticamente sobrenome dele, o "Imperador".
 
Em um jogo amistoso realizado contra o Real Madrid, Adriano sofreu uma falta fora da área. O ex-atacante pegou a bola para fazer a cobrança, mas Materazzi apareceu e afirmou que iria bater. Até que Seedorf apareceu e disse: "Não, quem vai bater é o Adriano".
 
"As pessoas me perguntam o tempo todo sobre aquela cobrança de falta. Como, como, como? Como você chutou a bola com tanta força? Eu digo a eles: 'Ah, cara! Não sei! Eu bati com a esquerda e Deus fez o resto!'", lembrou.
 
Nas palavras do próprio ex-jogador, esse foi o ponto zero de sua história de amor com a Inter de Milão, "O melhor" clube onde já jogou.
 
Ao falar sobre Massimo Moratti, o então presidente da Inter, o ex-atacante diz que jamais falará mal do ex-mandatário, "Que se importava" de verdade com a pessoa Adriano e citou um episódio em que Moratti reservou um ônibus para 44 familiares da Adriano fazerem "Uma turnê" pela Itália.
 
Em 2004, nove dias depois de marcar um gol decisivo contra a Argentina, na final da Copa América, Adriano recebeu a notícia que mudou sua vida, seu pai tinha morrido. 
 
"Eu realmente não queria falar sobre isso, mas vou te dizer que, depois daquele dia, meu amor pelo futebol nunca mais foi o mesmo. (...) Quando joguei futebol, joguei pela minha família. Quando marquei, marquei para a minha família. Então, quando meu pai morreu, o futebol nunca mais foi o mesmo. (...) Fiquei tão deprimido, cara. Comecei a beber muito", disse antes de completar.
 
"Eu realmente não queria treinar. Não teve nada a ver com a Inter. Eu só queria ir pra casa. Nem todas as lesões são físicas, sabe?", concluiu.
 
De volta ao Brasil, depois do desgaste no relacionamento com José Mourinho e com a imprensa italiana, Adriano foi emprestado ao São Paulo, onde buscou apoio no Núcleo de Reabilitação Esportiva Fisioterápica e Fisiológica (REFFIS) do clube.
 
Ele reforçou o apoio recebido de Moratti, que o "Deixou sair em paz" da Inter de Milão.
 
Passada essa fase, Adriano retornou ao Rio para atuar pelo Flamengo, mas não queria mais ser o Imperador. Ele relembrou o convívio com o grupo que depois 17 anos de jejum, deu um título do Brasileiro à torcida Rubro-Negra.
 
"Nunca fui completamente o mesmo depois que meu pai faleceu, mas naquela temporada eu realmente me senti em casa. Senti alegria novamente. Eu voltei a ser o Adriano", lembrou.
 
"Eu ganhei quase tudo. E eu tive uma vida incrível, do c******, cara. Sempre tive muito orgulho de ser o Imperador. Mas sem Adriano, o Imperador não presta! Adriano não usa coroa. Adriano é o menino da favela que foi tocado por Deus. Você entende agora? Você vê? Adriano não sumiu nas favelas. Ele apenas voltou pra casa", finalizou.
 
 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Adriano imperador (@adrianoimperador)


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!