Sportbuzz
Busca
Facebook SportbuzzTwitter SportbuzzYoutube SportbuzzInstagram SportbuzzTelegram SportbuzzSpotify SportbuzzTiktok Sportbuzz
Entretenimento / RENOVAÇÃO!

Revolução nos EUA: como a revenda de ingressos foi transformada!

Empresas de eventos apostam em ingressos online, precificação dinâmica e outras estratégias para prevenir abusos

Redação Publicado em 28/05/2024, às 16h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Empresas dos EUA apostam em ingressos digitais para facilitar revendas internas - Getty Images
Empresas dos EUA apostam em ingressos digitais para facilitar revendas internas - Getty Images

No Brasil e pelo mundo afora, a presença de cambistas nas entradas de eventos esportivos e shows é uma cena comum. Porém, nos Estados Unidos, essa prática está se tornando obsoleta graças a uma estratégia inovadora adotada pelas grandes empresas de venda de ingressos. Essa mudança na revenda trouxe benefícios significativos para os promotores de eventos e seus espectadores.

A estratégia norte-americana se baseia no princípio de simplificar e regulamentar a revenda de ingressos, oferecendo uma alternativa segura e conveniente aos métodos tradicionais. Com essa nova abordagem, os Estados Unidos conseguiram não só diminuir a presença de cambistas nas proximidades dos estádios e casas de espetáculos, mas também incrementar significativamente a experiência de compra e venda dos ingressos.

O que mudou na revenda de ingressos nos EUA?

Nos Estados Unidos, a revolução na revenda de ingressos aconteceu através da adoção de plataformas online oficializadas pelas tiqueteiras. Ao comprar um ingresso, o consumidor conta com a opção de listá-lo para revenda na mesma plataforma, processo que acontece com apenas alguns cliques. Essa facilidade permite que o ingresso volte ao mercado rapidamente, caso o comprador original decida não usar.

Como funciona a revenda de ingressos digital?

Após decidir revender um ingresso, o indivíduo simplesmente precisa listá-lo na plataforma online. Se o ingresso for vendido, o vendedor inicial ganha uma parte do dinheiro da venda. Caso contrário, ele pode usar o ingresso como planejado. Essa flexibilidade e facilidade de uso melhoraram a acessibilidade e a transparência do processo, previamente dominado pelos cambistas.

Medidas para prevenir abusos

Para prevenir práticas abusivas e garantir que os preços dos ingressos se mantenham justos, várias salvaguardas foram implementadas. Primeiramente, todos os ingressos devem ser apresentados em forma digital, eliminando a possibilidade de ingressos físicos serem replicados ou vendidos ilegalmente. A plataforma também utiliza a precificação dinâmica, regulando os preços de acordo com a demanda do mercado, podendo tanto subir quando a demanda é alta, quanto cair quando é baixa.

Essas políticas não apenas protegem o consumidor de preços exorbitantes, como também garantem que os ingressos tenham um valor justo. Eventos populares ainda podem gerar um bom retorno financeiro para os clubes e promotores, enquanto garantem que mais fãs participem dos eventos sem sofrerem por causa de preços inflacionados no mercado negro.

Em conclusão, a abordagem dos Estados Unidos para combater os cambistas e melhorar a experiência de aquisição de ingressos se mostrou extremamente eficaz. Com a adoção dessas novas práticas, tanto os fãs quanto os organizadores de eventos se beneficiam de um sistema mais justo, seguro e conveniente. Este exemplo poderia servir de modelo para outros países que enfrentam problemas semelhantes com cambistas.

*Texto originalmente publicado no site Perfil Brasil