Sportbuzz
Testeira
Colunistas / Eduardo Colli / Olimpíadas - Curiosidades

A história dos Jogos Olímpicos: Pequim 2008

Os jogos começaram! Então, confira a história das edições passadas para entrar no clima olímpico

Eduardo Colli Publicado em 04/08/2021, às 09h17

Anéis olímpicos - Getty Images
Anéis olímpicos - Getty Images

2008 – XXIX Jogos Olímpicos – Pequim - China

Abertura: 08.ago.2008 – Encerramento: 24.ago.2008
Abertura Oficial: Presidente Hu Jintao
Juramento dos Atletas: Yining Zhang
Juramento dos Árbitros: Liping Huang
Acendimento da Pira: Li Ning
Países Participantes: 204
Total de Atletas: 10942 Homens: 6305 – Mulheres: 4637
Brasil (Atletas): 277 Homens: 144 – Mulheres: 133
Esportes: 31 – Eventos: 302

 

Quadro de Medalhas: os 5 primeiros colocados e o Brasil

Derrotada para sediar os Jogos de 2000, em 2001, Pequim superou com facilidade as cidades de Toronto, Paris, Istambul e Osaka, e foi escolhida para receber os Jogos, pela primeira vez realizados na China.

Mesmo com as preocupações de muitas pessoas sobre abusos dos direitos humanos e censura da mídia dentro do país, a China como o Japão em 1964 e a Coréia do Sul em 1988, usaram a Olimpíada para comprovar seu valor à comunidade internacional.

E os Jogos foram superlativos, buscando realizar os maiores Jogos da história, em infraestrutura e instalações esportivas, o governo chines investiu mais de 42 bilhões de dólares.

Dos 37 locais de competições, 12 eram integralmente erguidos para o evento.

Cerimônia de abertura dos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

O principal local das competições foi o Estádio Nacional ou o "Ninho de Pássaro" por causa das estruturas expostas de ferro e aço, que se cruzam e entrelaçam, semelhantes às de um ninho, com capacidade para 90 mil pessoas. Recebeu as cerimônias de abertura e encerramento; as provas de atletismo e a final do futebol masculino.

Cerimônia de abertura dos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Centro de Natação em Pequim - Créditos / Getty Images

 

Para quem entra no Centro Aquático Nacional ou Cubo d'Água, ao olhar para cima, a sensação é de estar embaixo d'água. Revestido por três mil gigantescas bolhas de plásticos translúcidos ultra resistente, o estileno tetrafluoretileno. À noite, é iluminado por um sistema com 15 milhões de tonalidades de cores. Com capacidade de 17 mil espectadores, recebeu as competições de natação, saltos ornamentais e nado sincronizado.

Além deles, os chineses realizaram outras grandes obras: o Estádio Nacional Indoor, Centro de Convenções do Olympic Green e o Estádio Indoor Wukesong.

Devida as "incertezas de doenças relacionadas a cavalos e maior dificuldade de instituir uma zona de quarentena", novamente as provas do hipismo disputadas em Hong Kong e pela terceira vez na história, dois diferentes CON – Comitês Olímpicos Nacionais organizaram os Jogos.

Em 1920, as últimas regatas da classe 12 pés da vela foram realizadas nos Países Baixos e em 1956, Melbourne foi a cidade sede principal e Estocolmo recebeu o hipismo.

Com 21880 pessoas carregando a tocha, o revezamento passou por todos os continentes, exceto a Antártida, visitou cidades da antiga Rota da Seda (uma mensagem do elo entre a China e o restante do mundo), teve seu ponto alto na subida do Monte Everest. Em cada trecho dos 108km até atingir os 8300m de altura, houve protestos pedindo a liberação do Tibete e o respeito dos direitos humanos.

Para minimizar a poluição do ar, o maior problema dos Jogos, o governo chines ordenou e as fábricas de Pequim e de mais cinco províncias vizinhas reduziram suas atividades a partir do final de julho, mesmo assim, durante os primeiros dias dos Jogos, uma cortina cinza foi formada no céu da cidade.
 
Custando 300 milhões de dólares, na mais espetacular cerimônia de abertura da história até hoje, o ginasta Li Nin (grande ginasta da olimpíada de Los Angeles – 1984, com 6 medalhas, três de ouro) “voou” ao redor do estádio e acendeu a pira olímpica.
 
Dos 204 países participantes, 87 conquistaram medalhas, foram batidos 43 recordes mundiais e 132 recordes olímpicos. Com 15 medalhas de ouro a mais que os Estados Unidos. a China pela primeira na história dos Jogos da era moderna liderou o quadro geral de medalhas.
 
No dia 24 de agosto, na cerimônia de encerramento, Jacques Rogge o presidente
do Comitê Olímpico Internacional, afirmou: "os Jogos foram verdadeiramente excepcionais”.
 
Em 2014, outra cidade chinesa Nanquim sediou um evento olímpico, a segunda edição dos Jogos Olímpicos de Verão da Juventude de 2014.
 
E Pequim eleita em 2012, como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, será a primeira cidade da história a sediar as duas versões dos Jogos.
 
 

A medalha de 2008

Medalha olímpica de 2008 - Créditos / Getty Images

 

A principal característica das medalhas são os temas gregos exibidos dos dois lados, alterando pela primeira o padrão de medalhas estabelecido desde os Jogos de 1928. Importante mudança, pois a partir desta, todas as medalhas olímpicas vão refletir o caráter grego dos Jogos na sua origem e na sua revitalização.
 
Frente: a deusa Nike da vitória voa para o estádio levando a vitória para o melhor atleta. O comitê organizador decidiu apresentar o estádio Panatenaico, principal local das provas dos primeiros Jogos da era moderna, quando da restauração das Olimpíadas. O nome do esporte também foi cunhado.
 
Verso: com a chama eterna que foi acesa em Olímpia e viajou através dos cinco continentes por meio do revezamento da tocha de 2004; as linhas da Abertura da Oitava Ode Olímpica de Píndaro composta em 460 aC para homenagear a vitória de Alcimedon de Egina na luta e o emblema dos Jogos de 2004 em Atenas.
 
 

Maiores medalhistas

Jogos   Atleta País Esporte Total Ouro Prata Bronze  
XXVIII - Pequim Masculino Michael Phelps Estados Unidos Natação 8 8 0 0  
                   
  Feminino Natalie Coughlin Estados Unidos Natação 6 1 2 3  

 

Destaques


O maior campeão olímpico da história – parte 3

Michael Phelps nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Michael Phelps chegou em Pequim não apenas igualar as sete medalhas de ouro de Mark Spitz em 1972, mas queria superá-lo. Mesmo com dramas e por incríveis centésimos de segundo, ele conseguiu.
 
Nos 100m borboleta, onde não era o favorito, a prova pode ser dividida em duas partes. Nos primeiros 50m, o sérvio Milorad Čavić conseguiu uma grande vantagem com Phelps em sétimo. Na segunda metade da prova, Phelps com um esforço fenomenal tirou a diferença e tocaram a borda aparentemente juntos.
 
Visualmente parecia que Čavić havia vencido, mas o placar eletrônico apresentou Phelps em primeiro. A diferença entre eles, inacreditáveis 0,01 centésimo de segundo.
 
Provavelmente Čavić tenha tocado a borda antes do americano, mas não exerceu os 3kg de pressão sobre o touchpad, enquanto Phelps efetuou o toque perfeito e ganhou a prova.
 
O outro drama foi no revezamento 4x100 masculino. O francês Alain Bernard tinha boa vantagem, mas cometeu um erro, nadou próximo da raia de Jason Lezak, diminuindo a marola da água. Jason se aproveitou e venceu com o tempo de 46.06, os cem metros mais rápidos da história da Natação.
 
Michael Phelps entrou para história, conquistou oito medalhas de ouro, sete recordes mundiais e um olímpico na Natação .
 

As 8 vitórias de Michael Phelps em 2008:

      Prova                                                          Tempo                     Recorde
400m medley                                               4:03.84           Mundial / Olímpico
Revezamento 4 x 100m livres            3:08.24           Mundial / Olímpico
200m livres                                                    1:42.96           Mundial / Olímpico
200m borboleta                                          1:52.03           Mundial / Olímpico
Revezamento 4 x 200m livres            6:58.56           Mundial / Olímpico
200m medley                                                1:54.23          Mundial / Olímpico
100m borboleta                                               50.58                Olímpico
Revezamento 4 x 100m medley         3:29.34         Mundial / Olímpico

 

Cesar Cielo até hoje o recordista mundial dos 50 e 100m livres

Cesar Cielo nos Jogos de 2008 - Créditos/ Getty Images

 

César Cielo Filho nasceu no dia 10 de janeiro de 1987 em Santa Bárbara d'Oeste, São Paulo e mede 1,95m e pesa 80kg, com o biotipo perfeito para a natação.
 
Aos 18 anos, após se mudar para os Estados Unidos passou a treinar na Universidade de Auburn e rapidamente se tornou o velocista de estilo livre mais rápido do mundo.
 
Em Pequim, foi medalha de bronze nos 100 livres, empatado com o americano Jason Lezak e com 21.30, Cesar superou os favoritos, o francês Alain Bernard e o austrliano Eamon Sullivan e venceu os 50 metros livres.
 
Em 2009, ainda usando os super trajes, Cesar quebrou os recordes mundiais dos 50m livres com 20.91 e dos 100m livres com 46.91, marcas que até hoje não foram superadas.
 
 

Uma suspensão injusta e uma justa medalha de ouro

Maurren Maggi nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images
 
Em 2003, o resultado do antidoping de Maurren Maggi deu positivo para clostebol, substância encontrada na composição do creme cicatrizante Novaderm, que aplicou na virilha após uma sessão de depilação definitiva.
 
Em agosto, a repórter Luciana Ackermann, do jornal Diário de São Paulo passou pelo processo de depilação, aplicando o creme e dois depois, o teste de urina confirmou o clostebol, provando que o doping foi involuntário.
 
Com base no teste da jornalista, mesmo absolvida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva da Confederação Brasileira de Atletismo, a Federação Internacional de Atletismo não aceitou as apelações e suspensa, Maurren ficou de fora dos Jogos de Atenas.
 
Em Pequim, Maurren saltou 7,04 metros, um centímetro a mais que a russa Tatyana Lebedeva e ganhou a primeira medalha de ouro individual feminino do Brasil.
 
 

O maior velocista da história – parte 1

Usain Bolt nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Usain St. Leo Bolt em Sherwood Content na Jamaica no dia 21 de agosto de 1986,
país com forte tradição de velocistas do atletismo.
 
Bolt apareceu no cenário mundial do atletismo ao vencer os 200m no mundial Júnior em 2002 e da juventude em 2003.
 
Em Atenas – 2004, não passou das primeiras rodadas e em 2007, ganhou suaprimeira medalha, a de prata nos 200m no mundial de 2007.
 
E sua carreira não parou de crescer, em 31 de maio de 2008 no Reebok Grand Prix em Nova York, Bolt quebrou o recorde mundial dos 100 metros com 9,72 segundos.
 
Sua performance em Pequim foi arrasadora e sensacional. Nos 100 metros, além do recorde mundial, ele venceu facilmente. Na marca de 90 metros, olhando para trás e balançando os braços em comemoração cruzou a linha de chegada com 9.69 segundos, recorde mundial.
 
Venceu os 200m com 19.30 segundos, quebrando o recorde mundial que desde 1996, pertencia ao americano Michael Johnson.
 
No revezamento 4x100m rasos, o time Jamaica venceu e convenceu com novo recorde mundial e Bolt saiu de Pequim consagrado e carregando 3 ouros.
 
A partir de 2015, utilizando recentes e mais avançadas técnicas de testagem, o COI testou novamente as amostras de 2008 e 2012, um esforço para encontrar quem usou as drogas para melhorar o desempenho (PEDs) e reteste do jamaicano Nesta Carter, um dos corredores do revezamento deu positivo para metilhexaneamina e Bolt foi impactado, perdendo uma medalha de ouro.
 

As 2 vitórias de Usain Bolt em 2008:

      Prova                   Tempo                  Recorde

100m rasos              9.69            Mundial / Olímpico
200m rasos           19.30            Mundial / Olímpico
 
 

As jamaicanas também são muito rápidas

Shelly-Ann Fraser nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Além dos homens, as mulheres jamaicanas também voaram na pista de atletismo, Shelly-Ann Fraser venceu os 100m e Veronica Campbell-Brown os 200m rasos.
 
 

A Grã-Bretanha sobra nos pedais

Chris Hoy nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Cinco das sete medalhas de ouro no ciclismo de pista masculino e duas das quatro medalhas de ouro do ciclismo feminino foram conquistadas pela Grã-Bretanha.
 
Com quatro velódromos de nível olímpico, os britânicos passaram a produzir campeãs e campeões com Chris Hoy, que venceu a Sprint individual, o keirin e ajudou seus companheiros a vencerem a sprint por equipes.
 
Aos seis anos, inspirado pelo filme “E.T. – O Extraterrestre” Chris Hoy começou no Ciclismo.
 
Já adulto, se tornou o primeiro britânico, em 100 anos, a ganhar três medalhas de ouro na mesma Olimpíada. Ele é o ciclista olímpico com mais medalhas de ouro.
 
Em 2009, ele foi condecorado com título de Cavaleiro do Império Britânico e passou a ser tratado de Sir.
 

As seis medalhas de ouro de Chris Hoy:

Ano                 Prova                              Tempo                    Matchs                Recorde
2004    Km contra o relógio       1:00.711                                                 Olímpico
2008    Sprint individual                                                         2
2008    Sprint por equipes            43.128
2008              Keirin
2012              Keirin
2012    Sprint por equipes            42.600
 
 

Elena Isinbayeva  sempre nas alturas

Elena Isinbayeva nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Após garantir sua segunda medalha de ouro no salto com vara da russa Elena Isinbayeva  no segundo salto, ela quebrou os recordes olímpico com 4,91 metros e mundial com 5,05 metros.
 
 

As meninas de ouro com José Roberto Guimarães

José Roberto Guimarães com o time de Volêi em 2008 - Créditos / Getty Images

 

Muito bem treinada por José Roberto Guimarães – campeão olímpico com os homens em 1992 –, a seleção brasileira feminina de voleibol com: Paula Pequeno, Carol, Sheilla, Waleska, Mari, Thaísa, Fofão, Fabi, Jaqueline, Fabi, Valeskinha e Sassá, perdeu apenas um set em oito partidas, incluindo um 3 a 0 nas donas da casa na semifinal e ganhou o título olímpico ao vencer os Estados Unidos.
 

Campanha do Brasil na conquista da medalha de ouro em 2008:

 
Jogos      Vitórias      Derrotas     Sets a favor      Sets contra     Pontos a favor      Pontos contra
   8                   8                      0                      24                             1                          622                               409
 
 

Anastasia e Anastasiya, a melhor dupla da história do balé das águas

Anastasia Davydova e Anastasiya Yermakova nos Jogos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

A melhor dupla da história da natação sincronizada, o balé das águas, formada pelas russas Anastasia Davydova e Anastasiya Yermakova continuou dominante e reinando nas piscinas e levaram para casa duas medalhas douradas.

As cinco medalhas de ouro de Anastasia Davydova:

Ano           Prova                   Pontos
2004        Dueto                  99.334
2004        Equipes              99.501
2008        Dueto                  99.251
2008        Equipes              99.500
2012        Equipes        98.930 - 98.10

As cinco medalhas de ouro de Anastasiya Yermakova:

Ano            Prova           Pontos
2004         Dueto           99.334
2004         Equipes       99.501
2008         Dueto           99.251
2008         Equipes       99.500

 

A fama, a expulsão e o retorno

Guo Jingjing nos Jogos Olímpicos de 2008 - Créditos / Getty Images

 

Após os Jogos de 2004, a chinesa Guo Jingjing se tornou uma celebridade fazendo muita propaganda e foi expulsa da equipe chinesa.

Voltou à equipe quando concordou em se concentrar. Resultado ganhou duas provas dos Saltos Ornamentais.

Com seis medalhas no total, ela é a saltadora mais exitosa das olimpíadas.

As quatro medalhas de ouro de Guo Jingjing:

Ano          Prova                                         Pontos
2004   Trampolim                                   633.15
2004   Trampolim Sincronizado     336.90
2008   Trampolim                                   415.35
2008   Trampolim Sincronizado     343.50


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!