Sportbuzz
Coronavírus / BASQUETE!

Depois de toda a polêmica, Wiggins cede, e se vacina contra o coronavírus, diz Kerr

Kerr contou que Wiggins enfim atendeu a exigência antes do início da temporada da NBA

Redação Publicado em 04/10/2021, às 09h58

Wiggins deixa polêmica e toma vacina contra o coronavírus - GettyImages
Wiggins deixa polêmica e toma vacina contra o coronavírus - GettyImages

A vacinação contra o coronavírus pelos jogadores da NBA ainda está rendendo uma certa polêmica. Depois de um longo impasse, Andrew Wiggins precisou ceder, e de acordo com o técnico do Golden State Warriors, Steve Kerr, ele tomou a vacina.

Acontece que anteriormente, Andrew Wiggins tinha entrado com um recurso de exceção religiosa diante da obrigatoriedade da vacina nos jogos em casa da NBA, mas a franquia recusou, e sem saída, ele decidiu se vacinar.

"Andrew se vacinou. Ele me disse hoje que estava bem com o nosso reconhecimento e é o fim dessa história. Então, não vou mais responder questões sobre isso além dessa", disse Steve Kerr.

Na última semana, inclusive, Wiggins reforçou seu posicionamento antivacina. Ele afirmou que, apesar da pressão, não iria ceder.

"Definitivamente, estou contra a parede, mas vou continuar lutando pelo que eu acredito. Eu vou continuar lutando pelo que eu acredito ser certo. O que é certo para uma pessoa não é certo para outra e vice-versa", disse na oportunidade.

De certa forma, era ou se vacinar, ou não jogar. Isso porque atletas não vacinados vão poder competir na temporada da NBA, mas vão precisar ser testados diariamente nos treinos, nos dias de viagem e no mínimo uma vez, tendo a possibilidade de mais, em dias de jogos.

Times como New York Knicks, New York Nets e Warriors enfrentam regras mais duras por conta das legislações de Nova York e San Francisco, que não se aplicarão a times visitantes.

A presença de Wiggins na equipe é fundamental, afinal, ele teve média 18.6 pontos e 4.9 rebotes na temporada passada, e é considerado peça importante do elenco.

A esperança da diretoria dos Warriors, segundo a rede "NBC", é que sanções financeiras façam o atleta mudar de ideia. Quando perguntado pelos repórteres, o jogador disse que qualquer perda financeira era problema dele, não dos jornalistas.

Diante disso, vale lembrar que na última quinta-feira, 30, a NBA chegou aos 95% dos seus jogadores vacinados contra o coronavírus com, pelo menos, a primeira dose. Esse número aumentou depois da reapresentação dos atletas, e o início da pré-temporada.

Assim, a liga já deixou claro que jogadores que não puderem entrar em quadra por conta de restrições das cidades para não vacinados terão seu salário descontado pelos jogos que perderem.

Além disso, regras de convivência em viagens e nas arenas também serão mais duras para quem não estiver imunizado.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!