Sportbuzz
Testeira

GP da França: Red Bull destrói Mercedes na estratégia de troca de pneus

Verstappen vence mais uma e lidera campeonato de pilotos da Fórmula 1

Carlos Orlando Publicado em 22/06/2021, às 16h55 - Atualizado às 17h22

Red Bull teve dois pilotos no pódio do GP da França - Getty Images
Red Bull teve dois pilotos no pódio do GP da França - Getty Images

Depois de dois GPs terríveis para a Mercedes (Mônaco e Azerbaijão), a expectativa era de que no GP da França, o circuito de Paul Ricard oferecesse à Mercedes as condições ideais para a retomada da liderança do campeonato e principalmente a tranquilidade necessária para corrigir as falhas que a equipe vinha apresentando.

Porém, o que se viu foi novamente uma Mercedes totalmente atordoada e com muita dificuldade de reação.

Detalhes da corrida com total de 53 voltas:

O grid de largada foi formado por Verstappen/Red Bull, Hamilton/Mercedes, Bottas/Mercedes e Pérez/Red Bull;

Logo na largada, na curva dois, Verstappen erra e entrega a liderança para Hamilton;

Até a volta 18 não houve alteração, com Hamilton em primeiro mantendo três segundos sobre Verstappen, seguido de Bottas e Pérez;

Nesta volta a Mercedes chama Bottas para o Box para troca de pneus de médio para duro;

A resposta da Red Bull foi imediata, chamando Max Verstappen para troca de pneus também de médio por pneus duros. Esta foi a primeira decisão estratégica da Red Bull. Chamar Verstappen antes que a Mercedes chamasse Hamilton. Com isso, Hamilton, que tinha três segundos à frente de Verstappen, só foi para o box na volta 20, tendo que dar duas voltas a mais com pneus desgastados. Assim, Hamilton retornou para a pista atrás de Verstappen;

A segunda decisão estratégica da Red Bull e fatal para a Mercedes foi na volta 32;

Verstappen, com três segundos de vantagem sobre Hamilton, foi para o box e trocou os pneus para médio, voltando na quarta posição, atrás do companheiro Sérgio Pérez e a 20 segundos de Hamilton, faltando 21 voltas para o final;

Com esta manobra da Red Bull, a Mercedes não teve outra alternativa a não ser fazer com que Hamilton fosse com os pneus duros até o final. Não restando mais tempo suficiente para trocar os pneus e retornar a frente de Verstappen;

O holandês, com pneus novos, estava voando na pista, fazendo a volta mais rápida. Passou fácil pelo companheiro Sérgio Pérez e na volta 44 encostou em Bottas. A expectativa de todos, principalmente da Mercedes, era de que Bottas conseguisse segurar Verstappen por alguns preciosos segundos, ajudando Hamilton a completar a corrida em primeiro. Porém, a decepção foi enorme. Uma falha de Bottas na entrada da curva deixou a passagem livre para Verstappen;

Faltando nove voltas para o final, a quatro segundos de Hamilton, Verstappen foi à caça;

Restando apenas duas voltas para o final, Max Verstappen ultrapassou Lewis Hamilton e garantiu sua 13ª vitória de forma espetacular.

O pódio ficou formado por Verstappen, Hamilton e Pérez (Bottas perdeu também a posição para o mexicano).

O motor Honda, a equipe ajustada da Red Bull, Max Verstappen e Sérgio Pérez estão se mostrando extremamente competentes e com certeza poderão surpreender ainda mais. Porém, não é possível imaginar que a toda poderosa e competente Mercedes não reagirá rapidamente para reverter este quadro desastroso.

Resta aguardar o GP da Estíria no próximo dia 27 de junho.

CAMPEONATO DE PILOTOS

MAX VERSTAPPEN – 131

LEWIS HAMILTON – 119

SÉRGIO PÉREZ – 84

LANDO NORRIS - 76

VALTTERI BOTTAS – 59

CAMPEONATO  DE CONSTRUTORES

RED BULL – 215

MERCEDES – 148

MCLAREN - 110

 

Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!