Sportbuzz
Testeira
Colunistas / Carlos Orlando Barbosa / Formula 1 - GP da Arábia Saudita

21ª etapa - GP Arábia Saudita - veja um resumo dos destaques de ontem!

HAMILTON, MAIS MONSTRO DO QUE NUNCA, VENCE O GP DA ARÁBIA SUDITA E ZERA A DIFERENÇA PARA MAX VERSTAPPEN

Redação Publicado em 06/12/2021, às 09h06

GP da Arábia Saudita - Getty Images
GP da Arábia Saudita - Getty Images

A equipe da Mercedes foi para o circuito de Jeddah muito pressionada pelo resultado.

Mesmo após os excelentes resultados no Brasil e no Qatar, bastaria uma vitória de Max Verstappen e o título estaria praticamente nas mãos da Red Bull. Poderia até mesmo ser decidido em Jeddah dependendo da posição final do Hamilton.

GP da Arábia Saudita - Créditos / Getty Images

 

O objetivo era reduzir os 7 pontos de vantagem da Red Bull, ou no mínimo não deixar que a diferença aumentasse, e com isso levar a decisão para a última etapa do campeonato em Abu Dhabi.

Para acrescentar ainda mais emoção em tudo, o circuito de Jeddah era totalmente desconhecido para todos os pilotos.

A construção foi finalizada dias antes das equipes chegarem.

Um circuito de rua, com pistas estreitas, 27 curvas e alta velocidade média.

Já nos treinos livres de sexta-feira Charles Leclerc da Ferrari foi o primeiro a sentir as dificuldades da pista, destruindo o carro no muro.

No sábado, no Q3, a disputa pela pole entre Hamilton e Verstappen estava intensa. Com Hamilton e Verstappen alternando com a melhor volta.

GP da Arábia Saudita - Créditos / Getty Images

 

Porém, no minuto final para fechar o Q3, Hamilton com a pole provisória seguido de Bottas, Verstappen estava fazendo a melhor volta, com 2 décimos de segundo de vantagem sobre Hamilton. Na última curva, faltando poucos metros para linha de chegada, Verstappen perdeu o controle do carro e foi para o muro. Felizmente bateu de lado, sem necessidade de mudar nada no carro.

O Grid dos sonhos para Mercedes; Hamilton com sua 103ª pole, Bottas/Verstappen/Leclerc e Perez.

Uma dobradinha da Mercedes era o melhor resultado possível.

No domingo, diferentemente do que aconteceu no México, Hamilton manteve a liderança e Bottas conseguiu segurar o Verstappen na 3ª posição.

Hamilton e Bottas estavam sobrando na pista, fazendo voltas mais rápidas em cima de voltas mais rápidas.

Na 10ª volta, foi a vez de Mick Schumacher/Haas bater forte no mesmo lugar onde Leclerc havia batido na sexta-feira.

Com a entrada do safety car a Mercedes chamou Hamilton e Bottas para troca de pneus de médios para duros.

A Red Bull chamou Perez para troca de pneus, mas manteve o Verstappen na pista. Uma estratégia ousada da Red Bull.

Na 13ª volta, ainda em função da batida do Mick Shumacher, a direção de provas definiu pela bandeira vermelha, quando todos os carros podem ir para os boxes para fazer acertos e trocas de pneus.

Com Verstappen em 1º e Hamilton em 2º, o maior beneficiado pela bandeira vermelha foi justamente o Verstappen, pois pôde ir para os boxes trocar os pneus e ainda manter a primeira posição.

Uma decisão arriscada da Red Bull mas que deu sorte.

Uma bandeira vermelha, tanto tempo depois do acidente, quando praticamente já estava com a pista limpa, foi muito estranha...

A decisão da Red Bull só não foi melhor pois poderia ter mantido também o Pérez na pista e com isso teria os 2 pilotos na frente.

A retomada da corrida foi na volta 15, faltando 35 para o final, com; Verstappen/Hamilton/Bottas/Ocon/Ricardo/Leclerc/Gasly e Pérez.

A relargada foi tensa. Hamilton largou muito bem, saindo na frente do Verstappen.

Mas logo na primeira curva, Verstappen usou a área de escape da pista para superar Hamilton. Na confusão Esteban Ocon da Alpine assumiu a segunda posição e Hamilton caiu para 3º.

Bottas largou muito mal, caindo para 5ª posição.

Na sequência, Pérez fechou a Ferrari do Leclerc, bateu e saiu da corrida. Nikita Mazepin da Hass também bateu na traseira da Williams do George Russell.

Nova bandeira vermelha.

Durante a parada, a FIA determinou que Verstappen devolvesse a posição para Hamilton por ter ultrapassado os limites da pista.

Com a punição a relargada ficou; Ocon/Hamilton/Verstappen/Ricardo/Bottas.

Relargada na volta 17. Verstappen com pneus médios largou muito bem e assumiu a liderança seguido de Ocon e Hamilton.

 

Na sequência Hamilton com pneus duros ultrapassou Ocon e partiu para cima do Verstappen.

Na volta 22, Hamilton mesmo fazendo as voltas mais rápidas não conseguia chegar no Verstappen que mantinha a diferença de 1.2segundos.

Na volta 23, Y.Tsunoda da Alpha Tauri bateu na Aston Martin do Sebastian Vettel e entrou o safety car virtual.

Volta 24, bandeira verde. Verstappen com 1.3s de vantagem sobre Hamilton.

Volta 29, novo safety car virtual para limpeza da pista. Tinha pedaços de carros em toda a pista. A retomada aconteceu na volta 33

Volta 36, mais sujeiras na pista e novo safety car virtual.

Volta 37, na retomada, Hamilton abriu a asa e foi para cima do Verstappen. Conseguiu a ultrapassagem, mas novamente Verstappen saiu da pista e fechou a passagem do Hamilton.

Na sequência, na volta 38, Verstappen “tirou o pé” no meio da reta e Hamilton bateu na traseira do Red Bull.

Uma confusão de comunicação.

Verstappen recebeu a informação para devolver a posição para o Hamilton em função de novamente ter usado a área de escape. Porém, o Hamilton e a Mercedes não receberam esta informação. Quando o

Verstappen tirou o pé, o Hamilton não estava preparado e não teve como desviar.

Na batida, a asa dianteira direita do carro do Hamilton ficou danificada.

A distância entre eles aumentou para 2segundos. Verstappen continuou em primeiro.

Enquanto o incidente estava sendo analisado pelos comissários da FIA, o Hamilton, mesmo com o carro danificado, fazia a volta mais rápida.

Na volta 42 Hamilton conseguiu ultrapassar o Verstappen, mas logo em seguida perdeu a posição para Verstappen novamente.

Por decisão dos comissários da FIA, Verstappen foi punido em 5 segundos pela manobra de ultrapassagem e por não ter devolvido a posição para Hamilton.

Na volta 43, faltando 7 para o final, Hamilton finalmente conseguiu ultrapassar Verstappen.

Hamilton quis vencer a corrida na pista, sem precisar dos 5 segundos da punição e ainda fez novamente a volta mais rápida. Um monstro.

Bottas, na última volta conseguiu ultrapassar o Ocon e garantiu a posição no pódio.

Uma corrida sensacional, com muitas mudanças na ponta e que novamente exigiu o máximo do Hamilton e Verstappen.

Um fim de semana espetacular para a Mercedes que viu zerar a diferença de pontos no mundial de pilotos e aumentar para 28 pontos a diferença no mundial de construtores.

A decisão será no próximo domingo (12/12), no último GP da temporada, em Abu Dhabi.

Podemos esperar a corrida mais fantástica de todas para fechar o campeonato mais emocionante dos últimos 20 anos.

GP da Arábia Saudita - Créditos / Getty Images

 

MUNDIAL DE PILOTOS (10+)

1-M. Verstappen, 369,5 pontos

2- L. Hamilton, 369,5 pontos

3- V. Bottas, 218 pontos

4- S. Pérez, 190 pontos

5- C. Leclerc, 158 pontos

6- L. Norris, 154 pontos

7- C. Sainz Jr, 149,5 pontos

8- D. Ricciardo, 115 pontos

9- P. Gasly, 100 pontos

10- F. Alonso, 77 pontos

 

MUNDIAL DE CONSTRUTORES (5+)

1-Mercedes, 587,5 pontos

2-Red Bull/Honda, 559,5 pontos

3-Ferrari, 307,5 pontos

4-McLaren/Mercedes, 269 pontos

5-Alpine/Renaut, 149


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!