Sportbuzz
Testeira
Basquete / NBA FINALS!

Saiba o que esperar do Jogo 6 das finais da NBA

Milwaukee lidera a série por 3x2 e pode conquistar o título nesta terça-feira, 20

Gabriel Soria Publicado em 19/07/2021, às 11h45

Milwaukee Bucks e Phoenix Suns se enfrentam no Jogo 6 das finais - Getty Images
Milwaukee Bucks e Phoenix Suns se enfrentam no Jogo 6 das finais - Getty Images

Nesta terça-feira, 20, Milwaukee Bucks e Phoenix Suns se enfrentam no Jogo 6 das Finais da NBA. Em uma série muito equilibrada, os Bucks lideram por 3x2 e buscam a vitória para liquidar o confronto, já os Suns buscam o triunfo para se manterem vivos na competição.

Inicialmente, os Suns dominaram o confronto e abriram 2x0, jogando os dois primeiros jogos dentro de casa. Ambas as atuações mostraram a força coletiva da equipe do Arizona, mas a franquia contou com grandes atuações de Chris Paul e de Devin Booker.

Apesar das grandes atuações, os Suns contaram com duas noites ruins dos Bucks, que tomaram muitas decisões precipitadas no ataque e acabaram não finalizando as jogadas cruciais da melhor forma possível.

Precisando continuar viva na série, a franquia de Milwaukee mudou sua estratégia defensiva e trabalhou melhor a bola para a definição ofensiva e venceu os três jogos seguintes. Com média de 32,2 pontos por jogo nas finais, Giannis Antetokounmpo é a principal arma dos Bucks para conseguir vencer o Jogo 6 e conquistar o título.

O camisa 34 teve atuações decisivas em todos os setores e é o fator de desequilíbro. Contudo, o conjunto da equipe é muito importante, e os Bucks têm conseguido dividir bem as funções, o que resultou nas vitórias.

Mas qual é o cenário atual para o Jogo 6?

Pelo lado de Phoenix, Chris Paul, seu principal líder dentro de quadra, teve três desempenhos abaixo do esperado, justo nas três derrotas da franquia na série. O camisa 3 tem média de cerca de 16,6 pontos e nove assistências nas últimas três partidas. 

Contudo, Devin Booker tem chamado a responsabilidade e marcou ao menos 40 pontos nos dois últimos jogos, mas precisa que a força coletiva da equipe volte a fazer efeito para que estas boas atuações se revertam em vitórias.

Durante toda a pós-temporada, só soube o que era ficar atrás na série uma vez. Quando, após vencer o Jogo 1 contra o Los Angeles Lakers, viu a equipe de LeBron James virar o confronto para 2x1.

Contudo, o Phoenix logo virou e venceu o confronto por 4x2. Depois venceu o Denver Nuggets por 4x0 e então, na final da Conferência Oeste, bateu o Los Angeles Clippers por 4x2. Essa falta de experiência de ficar atrás na série pode pesar na questão psicológica.

A franquia de Milwaukee, por outro lado, passou pelo confronto mais equilibrado e desgastante dos Playoffs, contra o Brooklyn Nets. Depois de passar pelo Miami Heat vencendo por 4x0, os Bucks enfrentaram Kevin Durant e companhia. 

Como já se esperava, os Nets foram muito superiores nas duas primeiras partidas, e abriram 2x0. Os Bucks correram atrás e colocaram a série em 2x2. A franquia de Brooklyn até fez 3x2, mas viu Antetokounmpo e Khris Middleton liderarem a equipe na virada. Depois, os Bucks saíram perdendo para o Atlanta Hawks, mas, no final garantiu a vaga na grande final, vencendo por 4x2.

Além de demonstrar a capacidade de superação, a franquia de Wisconsin só perdeu uma vez dentro de casa durante os Playoffs, contra o Atlanta Hawks na primeira partida das finais da Conferência Leste, o que deixa os torcedores ainda mais esperançosos em um título antes do Jogo 7.

Qual é a estratégia necessária para cada franquia buscar a vitória?

Pelo lado dos Bucks, ofensivamente, a agressividade somada à cadência e tranquilidade foi o que deu mais certo durante a série. A principal estratégia foi buscar muito as infiltrações com o Greek Freak que, por mais que não tenha um bom aproveitamento da linha de lance livre, acumula faltas em seus adversários.

A partida mais tranquila para a equipe de Milwaukee foi a terceira da série, quando o camisa 34 tomou conta do garrafão depois de contribuir significativamente para que Deandre Ayton fosse tirado do jogo com cinco faltas pessoais.

Se for feita a comparação, os Suns tiveram 24 faltas pessoais acumuladas nos jogos 3 e 4, enquanto os Bucks só tiveram 18.

Defensivamente, os Bucks contam com Jrue Holiday e com Khris Middleton para segurar o ímpeto de Booker. Holiday, que foi extremamente importante na última partida, parece ter encontrado a melhor maneira de contribuir com a equipe, o que pode fazer a diferença.

Pelo lado dos Suns, a volta das boas atuações de Chris Paul são imprescindíveis. Além disso, a rotação de bola durante as últimas partidas parecem ter perdido a efetividade. Durante a série, foram 61 turnovers em cinco jogos, o que dá uma média de 12,2 turnovers por jogo.

Em geral, os Bucks têm cerca de 37,5% de aproveitamento nas bolas de três. Um caminho para a franquia de Phoenix ter sucesso na partida é tentar fechar ao máximo o garrafão e forçar bolas de três com os jogadores com baixa porcentagem de acerto. 

A partida pode marcar o título do Milwaukee Bucks depois de 50 anos, ou pode deixar o Phoenix Suns vivo na briga pelo seu primeiro título.


Receba notícias do SportBuzz no WhatsApp! Para fazer parte do canal CLIQUE AQUI!